Mensagens de amor para ela do coração

De tudo ao meu amor serei atento. Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto que mesmo em face do maior encanto dele se encante mais meu pensamento. Vinicius de Moraes. Mostre a atenção e o cuidado que você dá para o amor que nutre pela sua cara-metade! Ela vai gostar de saber que você está empenhado em lutar para fazê-la feliz! 6. Bem-vindo ao Belas Mensagens de Amor, aqui você encontrará a mensagem ideal para demonstrar todo seu amor. O conteúdo do site é organizado de diversas formas para facilitar a sua busca. Você pode navegar por formatos, assuntos ou destinatários. Mensagens de Amor. Confira aqui no Belas Mensagens as melhores Mensagens de Amor para ler, enviar e compartilhar. - Página 12 de 89 Amor de verdade não se satisfaz só com o que o corpo do outro produz, mas sente prazer com o que o outro provoca na alma. Amor de verdade não conta tempo, ele vive como se fosse durar para sempre. Amor de verdade não guarda rancor, não deixa um vazio no peito, a não ser que esse vazio seja de saudade. 14/jan/2018 - Explore a pasta 'Coração Mensagem' de Júnior Jr 🇧🇷, seguida por 540 pessoas no Pinterest. Veja mais ideias sobre Mensagens, Mensagem de coração, Frases ela é diferente. Bem-vindo ao Belas Mensagens de Amor, aqui você encontrará a mensagem ideal para demonstrar todo seu amor. O conteúdo do site é organizado de diversas formas para facilitar a sua busca. Você pode navegar por formatos, assuntos ou destinatários. É tão gostoso receber frases amorosas da pessoa amada. Sentimos o quanto ela nos ama e nos quer por perto. Mesmo quando distante, receber frases de amor a distancia é algo recompensados e nos deixa muito felizes e ainda mais apaixonados. É claro que precisamos retribuir enviando tambem lindas palavras de amor para nosso amor. +20 Mensagens de amor próprio 1. Linda mensagem para você que tem autoestima e amor próprio. E foi o tempo que a ensinou a ser ela mesma, sem precisar se explicar pra quem não quer entendê-la, tem muita gente iluminando o sorriso dela, pra perder tempo justo com quem quer apagar o seu brilho. Ela continua sendo assim: toda personalidade ... O seu jeito carinhoso de tratar todos no começo foi inspiração pra mim, na minha profissão. Mas agora,é mais do que emoção, é mais do que paixão: é amor e admiração. Você me completa e me faz bem. Fique sempre ao meu lado e vamos construir um mundo povoado pela felicidade. Comemore o casamento com mensagens de amor para o casal As melhores Frases e Mensagens de Amizade para compartilhar com amigos. Separamos uma seleção de imagens e melhores frases para enviar nesse Dia do Amigo! Frases para o dia dos amigos Às vezes, ter um amigo é a melhor terapia. A força da nossa amizade vence todas as diferenças. Amigo querido, sempre esteve comigo.

PROBLEMAS AMOROSOS DA MINHA MÃE ;3 (tenho permissão dela para postar)

2020.09.08 02:16 Luhl_MQ PROBLEMAS AMOROSOS DA MINHA MÃE ;3 (tenho permissão dela para postar)

Boa noite gente, estou aqui para falar dos problemas amorosos da minha mãe... Então, minha mãe era uma celibata, tipo uma monja, mas ela se apaixonou e meu guru permitiu ela deixar de ser monja. Esse pelo qual minha mãe se apaixonou também gostava muito dela, tanto que disse que queria ficar velhinho com ela... Eles moravam longe um do outro e logo, se viam pouco. Eles se comunicavam por chamadas de vídeo e mensagens... eles passaram um ano quase sem se comunicar um com o outro, e parecia que a mágica havia acabado; Quando, outro cara se apaixonou pela minha mãe ( vou chama-los de: cara 1 e cara 2). O cara 2 se apaixonou pela minha mãe e se declarou para ela numa praça essa quarentena, e eles se beijaram... Uns dias depois, o cara 1 ligou para minha mãe e começou a dizer quanta saudade ele sentia, o coração de minha mãe açelerou, mas seus sentimentos eram confusos... Ela não sabia o que fazer, de quem ela gostava? Devia ela dizer ao cara 1 que não lhe gostava mais? Mas ela ainda gostava dele... E do cara 2 também? Não sabia mais o que fazer... Os 2 lhe eram queridos?! Seu coração perturbado não sabia mais distinguir amor de afeição? O que ela faria?...

Por favor deixe nos comentários a sua opinião <3 (não com quem quem vc shippa ela, mas oq vc acha que ela devia fazer nessa situação? Se coloque em seu lugar...)
História verídica.
submitted by Luhl_MQ to desabafos [link] [comments]


2020.09.04 18:33 DanteStonecross Senta que la vem história

Eu to a algum tempo lendo e comentando coisas nesse /, e eu sempre quis dizer varias coisas aqui, porque de algum jeito eu me sinto confortável de ver essas coisas e todos vocês, mesmo discordando com algumas pessoas aqui e ali ta tudo bem, discordar é normal, faz a gente mais humano.
Mas eu queria muito contar uma história aqui hoje, é uma jornada importante pra mim, e eu espero que vocês gostem de me ver aprendendo uma coisa muito complicada. Nessa história, todos os nomes serão fictícios, e será um resumo muito resumido, então a grande maioria dos fatos não está aqui, mas o que isso tudo me ensinou, você vai poder ver com certeza.
Eu sempre fui um Romântico, e quando eu digo Romântico, eu falo da escola literária, eu não uso aquele português difícil, mas eu enxergo o mundo de uma maneira similar, eu vivo os momentos com as pessoas com intensidade, com muito sentimento, e os momentos seguintes a esses vem a melancolia.
A primeira vez que eu me apaixonei quando tinha 11 anos, o mundo se tornou diferente pra mim, era como se de repente todo o resto fosse preto e branco, e apenas aquela garota fosse colorida(eu tenho essa história contada em um texto, que é o ponto inicial da minha depressão, escrito exatamente como aquela criança enxergava o mundo, se ao final alguém se interessar eu mando sem problemas).
E, perto se fazer 14, em 2013, eu conheci uma garota muito mais do que bonita, ela era simplesmente divina aos meus olhos, ela era tão incrível, ela tinha absolutamente tudo que eu gostava. Eu conheci a Ágata dando aulas de matemática(o que mais um nerd faz?) e algo me chamou muita atenção: mesmo com 13 anos eu já tinha dado muitas aulas pra muitas pessoas e todo mundo tem um limite, todo mundo desiste(pede uma pausa) depois de X questões, mas ela não, mesmo sem entender muitas coisas ela persistia até o fim tentando entender tudo, até o horario dela ir embora ela continuou la, com o caderno e a caneta fazendo de tudo pra conseguir entender.
Bons meses depois Ágata se tornou minha melhor amiga(embora no início ela respondia minhas mensagens a cada 3 semanas, sem exagero!), e mais um tempo depois e muitos conflitos com a família dela, a gente começo a namorar.
Eu ainda não posso explicar o que era a sensação de namorar com ela, ela era literalmente o que todo garoto sempre sonhou: baixinha, cabelo cacheado, um rosto muito agradável, um sorriso lindíssimo, peitos e bunda enormes(ENORMES), cantava feito um anjo, era popular, divertida, extrovertida, dedicada, esforçada... É uma lista de qualidades que, na época, transbordava.
De 2014 até 2019, nós tivemos 3 anos de relacionamento e 5 anos de amizade, e eu aprendi muito mesmo em todos esses anos. O motivo do término do relacionamento(numa versão em resumo do resumo do resumo) foi, principalmente, possessão. Eu tenho um pai que é extremamente possessivo e eu levei 14 anos pra sair das garras deles(ou seja, ainda era recente quando eu conheci ela), e 1 ano depois do namoro ela começou a querer cada vez mais a minha atenção, onde eu não sentia mais liberdade pra fazer coisas que eu queria, porque eu tinha que ficar 3 horas falando no telefone com ela(e eu nem gosto de falar no telefone).
Não me entendam mal, eu não estou dizendo que fui perfeito, que não tive defeitos ou que só eu que estava passando por problemas, acabou porque precisava acabar. Inclusive se você, Ágata, por algum motivo descobriu o reddit e se reconhecer nesse post, saiba que mesmo não mais falando com você e não conseguindo mais olhar na sua cara(história pra outro dia), você pra sempre terá minha gratidão e meu respeito, nós vivemos muitas coisas juntos e, se hoje eu sou um homem, foi você que o moldou, muito obrigado.
Quando isso terminou, eu comecei a conversar mais com uma outra garota que eu conhecia, estudava na mesma escola que a gente, e conforme eu a conheci, ela começou a conquistar cada vez mais espaço no meu coração.
Carol era uma mulher interessante de várias maneiras, ela era extremamente extrovertida, cantava muito bem, tinha muitas histórias pra contar, era uma das pessoas que mais tinham ficado com gente na escola, e principalmente, ela tinha acabado de ganhar uma filinha. O jeito que a Carol olhava pra filha dela me fazia querer estar por perto, não porque ela parecia uma mãe incrível, mas porque havia uma dualidade dentro dela: aquela criança foi concebida de um estupro, onde foi muito difícil aceitar conceber a criança, quando ela nasceu era completamente visível que ela não sabia o que fazer, ela amava mais do que tudo aquela criança, ao mesmo tempo que ela via o homem que fez isso quando olhava pra ela(graças a deus, isso mudou bem rápido).
O tempo passou e eu e Carol começamos a nos dar muito bem, e em meados de 2019 a gente se beijou pela primeira vez, essa foi oficialmente a segunda pessoa que eu beijei na vida e cara, que coisa mais estranha, eu não sabia nem como descrever o que tinha sido aquilo de tão estranho... Até que ela me beijou uma segunda vez, e ai oficialmente, aquele era o melhor beijo do mundo.
Eu e Carol ficamos mais algumas vezes, e a gente se dava muito bem em tudo, até na cama era muuuuito diferente do que era com a minha ex, e a gente fazia tantas coisas juntos, viamos animes, conversavamos sobre varias pessoas, saíamos pra comprar roupas...
Cada dia que passava o meu sentimento só aumentava, e quanto mais ele aumentava, mais coisas que eu achava incríveis aconteciam, como a gente ver as coisas abraçadinhos, ficar de mãos dadas, varias dessas coisas de casal.
O meu erro? Carol desde o inicio falou "Não se apaixona por mim, eu não me apaixono por ninguém". Eu segui essas instruções o quanto foi possível, mas cara, talvez fosse loucura minha, mas parecia muito que ela também estava apaixonada, não com palavras porque toda vez que eu mencionava ela mudava a expressão e o jeito por um tempinho, mas as atitudes dela, os nossos momentos...
Depois de um tempo, no inicio desse ano, eu tentei cortar a Carol da minha vida torcendo pra que resolvesse meu problema, e deu certo por 1 mês até que ela me mandou mensagem perguntando quanto tempo isso levaria. Eu dei o meu melhor e coloquei todos os meus sentimentos em um texto, cada palavra continha tudo que eu sentia por ela, e ela também fez um texto de volta pra mim, e eu pude sentir o que ela sentia também, ela queria ser só minha amiga, e nada mais.
Nós ficamos mais 3 ou 4 meses sem nos falar até que, por intermédio de uma amiga em comum, a gente voltou a se falar e, desde então eu vi Carol mais umas 3 ou 4 vezes, mas é tudo muito estranho, a gente troca mensagens uma vez por semana e olhe la, eu nem acredito que um dia a nossa amizade volte, quanto mais a gente ficar ou coisas do tipo.
Mesmo com tudo isso, ela sempre viveu no meu coração.
Porem aqui vem a lição, meus amigos.
Há semanas atrás, eu consegui contato com uma garota que a gente não se via a muitos, muitos anos. Sabe aquela história de primeiro amor a gente nunca esquece? Esse foi meu segundo, e o que eu verdadeiramente nunca esqueci, eu sempre vou me lembrar do meu primeiro dia de aula numa escola completamente nova, e no fim do dia eu ainda todo perdido uma garota me puxa, me olha nos olhos e a primeira coisa que ela diz pra mim é: "Você namoraria comigo?". A resposta pra essa pergunta era não, obviamente, foi muito aleatório, mas eu estava tão nervoso que saiu "sim", ela deu um sorrisinho e voltou ao que tava fazendo. Desde aquele dia, Livia se aproximou cada vez mais de mim, e ela tentou me conquistar todos os dias, e acreditem em 2012/13 eu não era naada fácil.
E quando eu consegui falar com ela novamente, alguma coisa dentro de mim estalou, a gente voltou a conversar e era como se nada tivesse mudado, a gente conseguia desenvolver do mesmo jeito que a gente sempre fez, nem parecia que tinham 7 anos sem contato. A gente se viu algumas vezes(sim, eu sei que a gente ta de quarentena, todas as medidas de seguranças foram tomadas pra gente conseguir) e, cara, eu tinha me esquecido o que é olhar pra alguém que te olha como se você fosse uma obra prima, aquele olhar de quando éramos crianças não mudou nem um pouquinho, ela ainda olha pra mim como se eu fosse a pessoa mais legal do mundo.
Eu, com todos os meus defeitos, com todas as minha chatisses e meu jeito ""inteligente"" de ser, onde a lista de qualidades é exatamente igual a lista de defeitos, ela me vê como se fosse alguém muito mais do que incrível.
E eu olho pra ela assim também, e quando eu a olho, eu quero que ela sinta a pessoa incrível que eu vejo, uma pessoa que passou por inúmeros problemas pelo mundo afora e ainda passa, alguém que realmente foi a raiz do meu gosto pelas mulheres, que me ensinou que atitude é a melhor caracteristica possível em alguém, e que eu quero alguém com isso na minha vida, alguém que tenha coragem de me puxar pelo braço e dizer que me quer, alguém que queira os meus toques, alguém que querias os meus carinhos, as minhas massagens, os meus abraços, as minhas implicações, assistir animes ou séries comigo, beber comigo, aprender e viver todo tipo de experiências e situações. É isso que eu quero com ela também!
Esse é um pedacinho da minha odisseia, eu pedi a Deus, ao universo, a seja la o que for que estiver ai fora por nós, pra que 2020 seja um ano de apredizados e conquistas, 2020 foi o ano mais difícil da minha vida, onde por conta de um treinamento pra competição, da pandemia(home office) e tambem por causa de ter a Carol na minha cabeça, eu passei pela pior fase da minha vida, mas eu consegui correr atrás de ajuda a tempo(onde eu devo a minha vida a minha hipnoterapeuta, que mulher excepcional) e, no final dessa jornada, eu cresci muito e me tornei bem mais forte.
Muito obrigado, eu deixo aqui os meus agradecimentos a todas essas garotas, que me mostraram quem eu quero junto a mim e quem eu quero ser, a minha mãe que é a melhor mãe do mundo e, mesmo a gente se desentendendo as vezes, eu não resistiria sem ela, a minha hipnoterapeuta que consegue a façanha de me colocar em transe(hipnose ericsoniana é a melhor, sem dúvidas!) e que me ensinou muuuito mais lições do que eu teria aprendido em 20 anos da minha vida.
E principalmente, muito obrigado a mim mesmo, por ter aguentado até aqui, por nunca ter parado de ir pra frente mesmo pensando todos os dias em desistir, em jogar tudo pro ar, pensando até em coisas muuito, mas muuuuito mais escuras nos dias mais dificeis, mesmo assim nós estamos aqui, prontos para a proxima jornada, onde a gente vai sofrer, mas a gente vai aprender algo a respeito disso no final.
Se você chegou até aqui, meu caro amigo, eu só queria te contar a história de como eu descobrir o que, pra mim, é o amor. Amor é o que eu sinto quando olho pra alguém que também me devora com o olhar e as atitudes, amor não é toda a intensidade, todo o fogo, toda a loucura, não! Pode ser um pouco disso, mas principalmente, amor é reciprocidade, é você não ter que se esforçar em mudar 1001 coisas só pra agradar a pessoa, quem você ama e quem te ama de verdade gosta de você por ser quem você é, e é isso que eu quero pra minha vida, amar e ser amado!
Eu não sei se eu e Livia vamos ficar juntos, a gente deve descobrir mais a frente, mas eu sei que eu quero isso, e se o destino(ou o universo, ou deus...) não permitir que a gente fique junto, tudo bem, eu sei agora o que procurar, e que vai existir mais alguém que olhe pra mim do jeito que eu olho pra ela.
submitted by DanteStonecross to desabafos [link] [comments]


2020.08.09 01:46 Character-Ad3137 Término de relacionamento de 4 anos, por favor me ajudem

NÃO ESTOU AGUENTANDO TAMANHA DOR, ME AJUDEM. ELE FALOU QUE NÃO É OUTRA PESSOA.
Pessoas, até que meu coração deu um suspiro de felicidade quando eu descobri essa comunidade aqui.
Mas vamos lá, estávamos juntos há 4 anos e morando juntos há 1 ano e meio, passamos por altos e baixos no relacionamento mas se tinha uma coisa que tínhamos certeza era do nosso amor, do quanto nos amávamos e a cada dia mais tínhamos a certeza disso. Sabe aquela pessoa que você tem uma conexão surreal? De olhar nos olhos e saber que é isso, que é a pessoa.
Planejávamos futuro, filhos, nossa própria casa (morávamos na mãe dele) estávamos com planos de abrir um negócio (até já havíamos comprado a mercadoria e fechado com fornecedores) até que eu notei que ele estava estranho, assistindo mais missas on-line do que o comum, até perguntei se estava tudo bem, pois pensei que ele tinha pego covid e não queria me dizer porque sou muito preocupada e somos grupo de risco. Mas enfim, começou a ver missas constantemente há 1 semana, e ante ontem acordei ele estava quieto e estranho, perguntei o que era e ele falou que não era nada, insisti, insisti e pela terceira vez ele cedeu e falou as palavras que me tiraram chão, mundo e noção de tempo e espaço “Quero terminar”.
Perguntei o motivo e ele falou que não estava dando mais certo, que estava com dúvida sobre o amor que ele sente por mim e que não, não é outra pessoa e também disse que não quer isso. Eu suspeito de ser a carga de trabalho doméstico que estava sob nós (ele vem reclamando disso constantemente, mas eu nunca realmente fiz algo pra mudar, tenho problema de procrastinação) e pelo fato de ele estar estudando pra concurso, isso piorou e atrapalhou a noção de vida que ele tinha. Ele reclamava há um tempo de algumas coisas em mim, como por exemplo o fato de ele conversar comigo e eu responder (Humhum/Entendi) ou não prestando atenção no que ele estava falando (lembrando que isso acontecia raramente) mas mesmo assim eu mudei e comecei a simplesmente soltar o celular no momento em que ele vinha falar algo.
No momento do término ele estava cego e surdo, não me via nem me escutava. Em meio a algumas palavras vazias ele falou “talvez um tempo, mas ao mesmo tempo é um término” ele estava totalmente perdido, não sabia o que queria. Quando notei que ele não estava me ouvindo, apenas com aquela mente fechada eu falei que ia embora. Ele saiu de casa para não me ver ir embora, na minha frente ele não chorou, mas a mãe dele falou que ele saiu de casa pálido, desnorteado e chorando.
Ele sumiu, mandei umas mensagens no WhatsApp ontem, ele só visualizou. Tirou a foto do perfil também. Falei com a mãe dele e segundo ela, ele está na casa do irmão desde o momento do término em que saiu de casa. Nas redes sociais ele NÃO apagou nossas fotos e NÃO alterou o status de relacionamento para solteiro. Enfim, estou totalmente abalada, justamente por ter sido um “baque” estava tudo bem e do nada acordei e fui jogada do penhasco :( Estou totalmente abalada, minha família está tentando me ajudar mas eu sinto que não funciona, eu sinto que só ele é o suficiente, sabe? Sinto falta do cheirinho dele, sinto falta da companhia e do quanto ele me fazia ser forte quando eu estava no fundo do poço, ele realmente era o meu Porto Seguro. Então o foda é justamente isso, a única pessoa no mundo que me fazia me reerguer quando eu estava mal, eu perdi. Por favor, me ajudem, estou pensando em não procurá-lo, pois no momento do término ele cogitou a possibilidade de ser “só um tempo” então penso em dar esse tempo pra ele.
submitted by Character-Ad3137 to desabafos [link] [comments]


2020.08.08 15:05 Character-Ad3137 Término de um relacionamento de 4 anos

NÃO ESTOU AGUENTANDO TAMANHA DOR, ME AJUDEM. ELE FALOU QUE NÃO É OUTRA PESSOA.
Pessoas, até que meu coração deu um suspiro de felicidade quando eu descobri essa comunidade aqui.
Mas vamos lá, estávamos juntos há 4 anos e morando juntos há 1 ano e meio, passamos por altos e baixos no relacionamento mas se tinha uma coisa que tínhamos certeza era do nosso amor, do quanto nos amávamos e a cada dia mais tínhamos a certeza disso. Sabe aquela pessoa que você tem uma conexão surreal? De olhar nos olhos e saber que é isso, que é a pessoa.
Planejávamos futuro, filhos, nossa própria casa (morávamos na mãe dele) estávamos com planos de abrir um negócio (até já havíamos comprado a mercadoria e fechado com fornecedores) até que eu notei que ele estava estranho, assistindo mais missas on-line do que o comum, até perguntei se estava tudo bem, pois pensei que ele tinha pego covid e não queria me dizer porque sou muito preocupada e somos grupo de risco. Mas enfim, começou a ver missas constantemente há 1 semana, e ante ontem acordei ele estava quieto e estranho, perguntei o que era e ele falou que não era nada, insisti, insisti e pela terceira vez ele cedeu e falou as palavras que me tiraram chão, mundo e noção de tempo e espaço “Quero terminar”.
Perguntei o motivo e ele falou que não estava dando mais certo, que estava com dúvida sobre o amor que ele sente por mim e que não, não é outra pessoa e também disse que não quer isso. Eu suspeito de ser a carga de trabalho doméstico que estava sob nós (ele vem reclamando disso constantemente, mas eu nunca realmente fiz algo pra mudar, tenho problema de procrastinação) e pelo fato de ele estar estudando pra concurso, isso piorou e atrapalhou a noção de vida que ele tinha. Ele reclamava há um tempo de algumas coisas em mim, como por exemplo o fato de ele conversar comigo e eu responder (Humhum/Entendi) ou não prestando atenção no que ele estava falando (lembrando que isso acontecia raramente) mas mesmo assim eu mudei e comecei a simplesmente soltar o celular no momento em que ele vinha falar algo.
No momento do término ele estava cego e surdo, não me via nem me escutava. Em meio a algumas palavras vazias ele falou “talvez um tempo, mas ao mesmo tempo é um término” ele estava totalmente perdido, não sabia o que queria. Quando notei que ele não estava me ouvindo, apenas com aquela mente fechada eu falei que ia embora. Ele saiu de casa para não me ver ir embora, na minha frente ele não chorou, mas a mãe dele falou que ele saiu de casa pálido, desnorteado e chorando.
Ele sumiu, mandei umas mensagens no WhatsApp ontem, ele só visualizou. Tirou a foto do perfil também. Falei com a mãe dele e segundo ela, ele está na casa do irmão desde o momento do término em que saiu de casa. Nas redes sociais ele NÃO apagou nossas fotos e NÃO alterou o status de relacionamento para solteiro. Enfim, estou totalmente abalada, justamente por ter sido um “baque” estava tudo bem e do nada acordei e fui jogada do penhasco :( Estou totalmente abalada, minha família está tentando me ajudar mas eu sinto que não funciona, eu sinto que só ele é o suficiente, sabe? Sinto falta do cheirinho dele, sinto falta da companhia e do quanto ele me fazia ser forte quando eu estava no fundo do poço, ele realmente era o meu Porto Seguro. Então o foda é justamente isso, a única pessoa no mundo que me fazia me reerguer quando eu estava mal, eu perdi. Por favor, me ajudem, estou pensando em não procurá-lo, pois no momento do término ele cogitou a possibilidade de ser “só um tempo” então penso em dar esse tempo pra ele.
submitted by Character-Ad3137 to desabafos [link] [comments]


2020.08.06 03:42 thui_ Amor volátil

O término de um relacionamento é complicado, mas sinceramente, romper de maneira a não ficar claro o porquê, é de deixar corpo e alma abalados por muitos meses a risca.
Eu jurava amor à ela, e ela jurava amor à mim, mas no final das contas 2 anos não significaram nada quando ela decidiu se afastar repentinamente, totalmente repulsiva quanto a afeto e o mais simples dos diálogos. Em pouco tempo assim, e decidimos terminar, sem mesmo eu entender exatamente. Apenas sabia que ela estava perdida com os próprios sentimentos.
Hoje, 2 anos depois, por uma ocasião descobri que fui trocado, simplesmente. Poucas semanas após o término ela já estava a paquerar e sair escondida com um homem 10 anos mais velho (ela tinha seus 18 anos), do qual já se falavam por mensagens e a própria mãe apoiava pois dizia que eu era jovem demais para oferecer algo que valha nessa vida para sua filha.
Enfim, estão juntos até hoje, porém em um relacionamento aberto. E eu? Feliz por não ter continuado, e agora disposto a me abrir à outro garota com todo o fervor do meu coração.
submitted by thui_ to desabafos [link] [comments]


2020.08.05 16:01 LiviLuthorDanvers Ex namorada abusiva ainda se acha o amor da minha vida

Ok, pensei muito antes de mandar isso aqui, mas uma história dessa não deve ser desperdiçada. Então, por favor façam essa história chegar no Luba, pelo amor de Rao
Bora lá. Olá, Luba, editores, gatas, falecidos papelões, possível convidado and turma que está a lever.
Contexto da história: minha ex terminou comigo de uma forma muito escrota, descobri que ela ja estava noiva de outra garota, ela me disse que eu era doente por amar tanto ela e que eu precisava me tratar. Tinha bloqueado ela meses atrás, mas vieram me falar que ela precisava falar algo muito importante comigo, então eu desbloqueei ela. Agora bora pra história, irei transcrever a conversa aqui.
Ela- **** Preciso conversar com você. Ai mas como está?
Eu- Bem e vc? Sobre o que quer falar?
Ela- Muito mal. Mas acho que isso não ti interessa
Eu- Vdd, não me interessa. Então... O que quer falar?
(Duas horas depois)
Não tenho tempo pra mistério. Não quero ser grossa, mas vc sabe o que fez, o que falou, então não vamos fingir que somos amigas, certo?
Ela- Não ti preocurei pra brigar. Comigo ficaram guardadas momentos lindos do nosso romance. Serio, não imaginei que depois de tanto tempo você voltaria me tratar com cinco pedras na mão. Bom dia!
Eu- Olha... eu não vou nem comentar. O que vc queria falar?
(Três horas depois)
Olha, eu vou dormir. Quando eu acordar espero que vc tenha dito o que vc quer tanto falar comigo. Como ja disse antes, não tenho tempo pra mistério.
Ela- Olha meu amor. Não fale desse jeito comigo okay? Do jeito como me trata, me deixa sem forças pra falar o porquê ti procurei. É uma pena ter gastado o seu tempo a toa Tenha um bom dia. E esqueçe o que ia falar. O seu clima comigo não ajuda.
Eu- Só fala o que vc quer tanto falar.
Ela- A gente se fala quando estiver disposta em conversar comigo.
Eu- Só fala logo. Para de rodeio. Quanto mais mistério vc faz, mais irritada e sem paciência eu fico.
Ela- Você ainda está magoada comigo?
Eu- Sim.
Ela- Gostaria que me perdoasse. De todo o coração. Com toda a sinceridade 😔
Eu- Era sobre isso que vc queria falar comigo?
Ela- É o começo pra poder dizer o que tenho a falar. Mas é importante a sua resposta.
Eu- Certo... Vc tem o meu perdão, pq não quero ficar remoendo isso pelo resto da minha vida.
Ela- Obrigada se é que o seu perdão é sincero. Não quero mais perder a ligação com você. Desde que você me deixou, não sou mais feliz. Sonho com você todas as noites como antes. Pra mim é importante ti falar disso.
Eu- Ta bom. Mas onde vc quer chegar? Humm. E o que vc quer que eu faça em relação a isso? Ja te dei o meu perdão.
Ela- É tudo que queria falar pra você. Que você ainda vive em mim. Eu estou doente de saudades de você. Mas entendo se nao quiser saber mais nada de mim. (Ela mandou um áudio dizendo que talvez esse ano poderia vir para o Brasil e que quer me conhecer)
Eu- Olha, não quero ser grossa, mas não quero me encontrar com vc, não quero te ver. Estou muito bem com a minha namorada e não quero que isso seja abalado por um fantasma do meu passado.
Ela- Tudo bem. Fantasma. Hum ok. Posso ligar pra você? Me liga quando puder.
Eu- Estou ocupada agora.
Ela- Tá. Ainda vai me ligar?
Eu- Minha namorada está aqui em casa. Estou ocupada.
Ela- Está bem! Tranquila, eu super entendo. Sem problema.
Dois dias depois
Ela- Mulher, preciso ti ouvir. Você se esqueceu que sou amor da sua vida? Nem essa garota, nem o tempo vai mudar os meus sentimentos por ti.
Eu- Não é mais. Vc perdeu esse posto quando me tratou daquela forma, vc perdeu toda e qualquer chance de voltar a ter algo comigo quando me tratou assim. Deixei isso bem claro
Ela- Eu não perdi nada amor. Apenas eu era imatura e precisava me organizar e entender o que realmente queria. Eu quero ti amar como nunca. Não me negue.
Eu- Não Me Chama De Amor Vc perdeu por ser imatura, por se comportar como uma mimada que achava que poderia usar as pessoas e descartar quando não serviam mais.
Ela- Chamo e repito. Amor da minha vida. Por favor ****, Eu nunca descartei você. Você me deixou e sumiu do meu coração que tanto se completava por você. O meu coração e eu, sentimos a sua falta.
Eu- É, vc não me descartou. Só me chamou de doente e disse que eu precisava me tratar. Ahhh disse também que ficou comigo por pena. E como cereja do bolo a sua noiva ainda me chamou de câncer. Vc quer mais?
Ela- Sim, quero você. Eu não estou mais pra perder tempo sendo que a minha felicidade é ao teu lado. Me deixe conhecer o mundo de mãos dadas com você por favor😔
Eu- Isso vc nunca mais vai ter. Olha, não quero entrar nessa discussão de novo. É melhor cada uma seguir o seu caminho, eu não sinto mais o mesmo por vc. Sinto muito por isso, mas é a vdd. Eu não amo mais vc, Cals. Encontre alguém que ame vc, que queira ficar com vc e nunca magoe essa pessoa, nunca faça ela sentir o que eu senti quando vc falou tudo aquilo.
Ela- O problema é que você nunca me amou, e nunca sentiu nada por mim. Foi daí que tudo acabou. E se estou aqui, não é porque não deu certo com a **** É por amor puro mesmo.
Eu- Por favor, não me mande mais mensagens. Não quero ter que bloquear vc, se caso vc venha mesmo para o Brasil, não me procure. (Mande um áudio pra ela dizendo que não amo mais ela, que estou feliz com a minha namorada e que não quero mais ela na minha vida)
/Nota: coloca uma música triste/
Ela- Não me fale de amor se bem que não tas mais disposta em me dar. O amor que carrego no peito, não é algo simples entendeu? Você sabe e sempre soube que és a minha pessoa preferida. Ai como queria poder dizer o quanto eu te amo sem usar apenas palavras. Só que algum dia eu dê esse amor alguém que não o merece tanto quanto você. Mas eu não quero mais ninguem a não ser você.. E saiba que está me traindo com outra. Ó meu Deus, que dor💔😔
Eu- Te traindo? É sério isso?
Ela- Serio. E eu aqui morrendo de amor por ti e me fala de outra Sim, você com outra.
Eu- Vc diz tudo aquilo, parte o meu coração, destrói o que restava da minha auto estima e tem a coragem de dizer que eu te trai?
Ela- Você está me traindo com outra. Meu Deus do ceu. Mulher, como pode?
Eu- Olha... eu não te trai E nós não temos mais nada. N A D A Então, só para com isso. Eu sabia que vc não queria só o meu perdão, sabia que de alguma forma ia quer que a gente voltasse (Aqui eu já sabia que daria uma boa história)
Ela- Eu não ti quero distante de mim ok? Bloquear um amor, não é uma opção sábia O que você sente me ferindo? Eu não ti desejo felicidades com outra pessoa porque eu quero você.. Você é minha mulher. Volta pra gente Porque sabe o quanto te amo e ti quero comigo. É demais como fiquei implorando pelo o seu Amor.. Não irei ti forçar, não irei mais insistir na gente. Que seja o que Deus quiser. Não serei a primeira na vida. Isso acontece🙏
Eu- Assim como eu implorei o seu.
Ela- De tudo que você falou pra mim, e de como falou, revela que não me perdoou. Quem perdoa esquece, e não volta remexendo o mesmo. (Realmente, só falei aquilo pra ela não encher mais o saco)
Ela- Não largue nada da sua vida. Definitivamente quem vai embora sou eu. Não sei mendigar ou implorar por amor. Por tanto, pra ti fazer acreditar que também mudei e sou decidida, irei sumir de vez. Ti juro que não irá mais saber de mim. Que o meu sumisso seja motivo de felecidade eterna em sua vida.
Eu- Olha, essa conversa ja durou tempo demais. Tempo esse que eu poderia está conversando com a minha namorada ou fazendo algo melhor que revirar o passado. Eu não te desejo mal, Cals. Só desejo o melhor pra vc, que vc encontre alguém que te ame. Certo, então é isso Vc vai seguir a sua vida e eu vou seguir a minha. É uma pena tudo ter acontecido dessa maneira, mas não dá pra mudar o passado. Realmente te desejo o melhor e que vc fique bem, que encontre quem te ame de verdade pelo o que vc é e não pelo o que vc tem
(Depois ela rearfirmou que iria sumir da minha vida e tudo mais... e no outro dia mandou um oi, ai levou block. Minha paciência acabou)
submitted by LiviLuthorDanvers to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.27 20:05 miruka_ne NICE GUY LITERÁRIO

Olá lubisco, papelões, gatenhas <3 e turma :3
Transcrevi o SMS (SIM, SMS) que meu ex mandou depois de eu ter bloqueado ele no face e no wpp (porque ele não parava de mandar mensagens):
"Fuja e permita que as lacunas ou fossas obscuras de seu coração sejam sobrepujadas de tanto amargor diante de você, será q vc não entende q fomos peças de um jogo ainda maior que nós e eu não tive a menor chance de defesa? Como se atreve a me destratar dessa maneira? Você é só um pedaço fugidio de gente, nem sequer sabe o que é o verdadeiro âmago da dor, você pode pode me julgar por uma tentativa falha que eu fiz ao tentar desesperadamente recuperar uma mentirosa como vc. Eu me divirto o quão tolo eu pude ser ao seu lado, eu te dei um amor q vc jamais provaria e vc pisou sobre ele. Você escarra mentiras, talvez vc e esse lixo q vc chama de amiga se mereçam, vcs são mentirosas, sujas e manipuladoras, amaldiçoado seja o dia que eu conheci vc. Fuja para as profundezas de onde nunca deveria ter saído
Criança tola
Você não merece o amor que lhe foi dado
Aliás, nem amor tu mereces"
Agora vou contextualizar: ele era agressivo e me forçava a coisas que eu não queria fazer. A "tentativa" a qual ele se refere foi por um dia ter gritado comigo na frente dos meus pais. Uma amiga me ajudou a sair desse relacionamento tóxico e ele dizia que ela estava fazendo bruxaria para separar a gente. No fim, mandei ele se f* <3
https://imgur.com/TE8z9Tl
https://imgur.com/PzmZt4R
submitted by miruka_ne to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.19 01:47 Ranmaaa Sou babaca por querer cortar todas as ligações com meu melhor amigo?

Yoo turminha, Luba(se estiver lendo isso), editores maravilindos, gatas e cadaveres de papelão, tudo bom cô6? Bom... há quase três anos atrás eu conheci um menino que é uns dois anos mais velho que eu (vamos chamá lo de Dio) ele tem quase 15 agora e mês que vem vou fazer 13. Nós conversavamos bastante e viramos bastante amigos com o tempo.
Se passou um ano desde que nos conhecemos e começamos a nos afastar um pouco por que eu queria focar mais nos estudos já que era final de ano e ele só ficava brincando. Era quase semana das provas finais e o melhor amigo dele contou pra mim que Dio gastava de mim mas tinha vergonha de falar pois ele era mais velho. Eu obviamente não acreditei e deixei prá la.
Era um mês antes das provas finais e Dio se declarou pra mim e me pediu em namoro. Fiquei nervosa para o um caramba pois ele era meu melhor amigo e eu não sentia nada. Acabou que depois de uns minutos de eu morrendo por dentro para não querer ferir os sentimentos do meu amiguinho, ele acabou me dizendo que era troll. A partir dai ele sempre se declarava e dizia q era mentira e eu simplesmente não ligava.
Depois de uns dias que isso aconteceu tivemos uma conversa séria e ele finalmente falou que realmente gostava de mim só tinha vergonha de falar. Não sabia o que dizer então fui pedir um conselho para a minha melhor amiga(SPOILER: Essa foi a pior idéia que eu pude ter na minha vida). A irmã dessa minha amiga ia fazer uma festa de aniversario então resolvi ir já que ela me convidou e seria a oportunidade perfeita para pedir o conselho.
Chegando lá contei tudo para ela e o ótimo consrlho que a minha preciosa amiga falou foi:" ah aceita o guri em namoro logo! Ele gosta de você e vocês parecem ser bem próximos". Eu disse a ela que não sentia o mesmo e não me sentia nem um pouco preparada para namorar mas resolvi ouvir o que ela disse.
Cheguei em casa, aceitei o namoro. Ele era super fofo e gentil comigo apesar de ser um pevertido as vezes. Eu tava tentando gostar dele mas não deu certo. Assim que a semana de provas começou, eu disse pro Dio o que eu pensava e foi basicamente isso:" Olha, me descupa mas eu quero terminar. N ão me sinto confortavel e muito menos preparada para um relacionamento desses e quero terminar isso o mais rapido possivel para não nos machucarmos tanto.". Ele aparentemente aceitou tudo de boa e ficou fazendo um draminha(SPOILER: Éh obvio q ele não aceitou nada de boa ;_;)
Durante o resto de toda a semana, Dio ficou me flodando mensagens de amor e dizendo coisas como "você só está com vergonha por eu ser mais velho" ou "eu sei que você gostq de mim, mas não quer que seus pais saibam.". Fiquei irritada e pedi para ele parar vàrias vezes mas Dio só mandava mais e mais mensagens então eu resolvi bloquear ele. No início só estava com raiva mas depois de uns dias me senti cupada pois eu só alimentei aquela mentira e eu soube depois que ele reprovou de ano.
Ele era meu amigo e não aguentava o sentimento de culpa então resolvi desbloquear ele depois de uns 5 meses desde aquilo aconteceu e pedi desculpas. Disse que ele poderia me odiar e chingar o quanto quiser, mas ele acabou só dizendo que estava feliz que eu me importava e que ele poderia conversar comigo de novo.
No começo estava tudo TOP, mas foi passando o tempo e ele foi me mandando declarações e mensagens de amor de novo. Eu disse para ele parar, mas mesmo assim ele continuou apesar de ser bem menos. Eu já estava ficando com raiva de novo até chegar ontem que foi a gota d'agua.
Bom... Ontem nós estavamos conversando sobre irmão e tal até ele dizer que nós somos quase irmãos por conversamos tanto. Eu apenas falei que não tinha nada a ver pois só conversavamos sobre memes, jogos e as vezes animes, não tinhamos nenhum tipo de segredo e ele definitivamente não me conhece de verdade.
Dio insistiu em dizer que somos irmãos e já praticamos inc3st0 ano passado. Isso me deixou pistola já que só foi um namorinho de internet que durou literalmente uma semana. Até chegou o ponto em que fiz uma pergunta que seria "a prova de que ele é meu imão de verdade". Perguntei para ele qual é o meu maior sonho mas ele só respondeu coisas como " ser desenhista de hentai"(pois eu amo desenhar)," que eu queria fazer parte de um ecchi" ou que "ter um namorado de anime já que ninguém da vida real te agrada". Obviamente fiquei com ódio no coração e pedi para ele falar sério.
Dio ficou apenas enrolando falando coisas estranhas e susgestivas até eu ameaçar bloquear ele. Finalmente o guri parou de falar coisa estranha e começamos a falar sério de verdade. O meu sonho para mim é algo muito importante que eu quero realizar um dia então resolvi confiar nele para contar isso. O meu sonho é que (vou contar aqui mesmo pq ningurm me conhece ne) Eu AMO com todas as minhas forças música e o meu objetivo é um dia ser guitarrista profissional e entrar para uma banda. Ele simplismente leu a mesagem e disse que depois ia contar o sonho dele jà que esse era nosso acordo.
Se passou mais de 30 min e ele não falava até eu ameaçar de dar block de novo. Depois de tanto tempo ele contou que o sonho dele é " Estar abtaçado contigo em uma praia a observar um belo pôr do sol enquanto nosso cachorro corre na areia com os nossos filhos. Eu... Fiquei com ódio extremo e a minha vontade era de ir na casa dele e passar a faca no golfinho dele. Dio ficou falando que não sabia o motivo de eu estar com tanta raiva (mesmo eu tendo falado milhares de vezes que para ele para com aquilo). Apenas disse que està obvio o motivo de estar com raiva e até agora apenas visualizo as mesnsagens dele. Estou pensando em bloquea lo de todas minha redes sociais.
Entãaao.... Eu acho que na parte do namoro nós dois fomos babacas. Motivo: Eu por escutar um conselho idiota e iludir ele. Dio: Por mesmo sabendo que eu não sinto o mesmo, continuou falando coisas estranhas e tentando me convencer a gostar dele. E na segunda parte? Eu sou babaca por querer difinitovamente cortar todas as nossas relações ou ele é babaca por continuar falando coisas estranhas?
submitted by Ranmaaa to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 05:55 Shinvk Fui babaca por cortar raízes e relações com amizades de mais de 10 anos? Conflitos, novelas e tragédias.

Aviso de gatilho:
• Chantagem emocional.
• Abuso psicológico +.
• Menção a problemas de saúde mental tais como: ansiedade, depressão e +.

Primeiramente, olá Lubisco, editores, gatinhas e Turma.
Bom, a história é longa e cheia de drama então take a seat que lá vem história.
Editores, se puderem, por favor, censurar meu user, eu agradeço.
Eu sou S, F25 e os envolvidos dessa história são C - F24, G - F25, e E - M20, mas você pode chamar todo mundo de Calrs se quiser.
Pra contexto, vamos voltar alguns anos. Eu conheci a C a quinze anos atrás e nos tornamos melhores amigas desde então, well, ela era minha melhor amiga, eu era apenas mais uma no círculo infinito de amizades dela, já que ela adora colecionar cartinhas.
A G eu conheci a 10 anos atrás, e o match foi perfeito, éramos inseparáveis e honestamente, acho que tive uma crush pesada nela por todos essas 10 anos, acho não, tenho mesmo, mas isso não vem ao caso agora. Quando apresentei a G para a C, C se tornou estranhamento possessiva da G e meio que queria roubar a atenção dela totalmente, e já adianto, conseguiu. Se eu e G éramos o match perfeito, C e G eram carne e unha, inseparáveis.
Eu conheci o E a minha vida toda, praticamente, ele é primo do meu primo então em todas as reuniões de família acabávamos nos encontrando, mas nunca fomos muito próximos. Porém, no natal de 2018 acabamos ficando inseparáveis porque finalmente resolvemos conversar e percebemos que tínhamos tudo a ver um com o outro, mesmos gostos, mesmas ideologias e etc, e hoje nos perguntamos, por que não nos falamos antes? Como fomos burros hã?
Agora vamos a história, em Novembro 2018 eu me formei na universidade, me especializei na área que eu queria e estava com a vida engatilhada, recebi algumas propostas de emprego absurdamente incríveis e ainda mais, tinha planos até de sair da minha minúscula cidadezinha para tentar a vida na metrópole.
Veja bem, a vida que levei nunca foi fácil, aqui em casa sempre vivíamos com o básico, me formei com bolsa integral e se não fosse por isso, jamais teria oportunidade de fazer uma faculdade. Tenho uma vida muito simples e sonhos muito grandes. Mas nem tudo foram flores por um longo tempo, minha infância foi difícil, sofri traumas e certos tipos de abuso (os quais prefiro não mencionar aqui) que ficaram em silêncio por muitos anos, e que deixaram cicatrizes muito profundas. Tive depressão crônica por anos, tentei tirar minha própria vida algumas vezes e desenvolvi transtornos ainda piores em todo esse processo, um deles é pânico social e ataques de pânico contínuos. Tive muita dificuldade para lidar com meu passado mas de alguma forma, ao longo desses anos de faculdade, consegui me perdoar e fazer as pazes comigo mesma, e finalmente, entender que o que aconteceu comigo, não foi culpa minha. Em 2018, eu finalmente estava em paz comigo mesma, comecei a manter uma dieta mais saudável e fazer exercícios diariamente, sei que quem sofre de tais transtorno entende o quanto uma rotina dessas ajuda no processo de cura. E minha atividade preferida, era andar d bicicleta. Eu andava todos os dias, eu moro perto da cerra de Minas, o ar é maravilhoso, a vista é linda e o cheiro de terra somado com o vento no rosto quando se desce a montanha, é inigualável, e isso, me fazia feliz. Eu sou mais cega que um morcego, infelizmente, tenho mais de três graus de miopia e em um desses passeios, começou a chover muito, meu óculos embaçou e bom, você já deve imaginar, eu não enxerguei a pista e na tentativa de limpar a lente, não vi uma vala e sofri um acidente.
Geralmente meu irmão ia comigo, mas como a vida gosta de ser engraçada, naquele dia eu estava sozinha. Digamos apenas que o pneu da frente da bicicleta ficou preso na vala e eu virei 180 graus, cai de gostas e o guidão bateu com a força de uma bigorna no meu peito. Como eu estava sozinha, chovendo e pra melhorar, escurecendo, desentortei o pneu do jeito que dava, coloquei a correia de volta e voltei pra casa pedalando, quase 10km.
No dia a gente não sente, mas no dia seguinte, aaaaah meu amigo, acordei praticamente gritando de dor, em plena madrugada fiz meus pais levantarem em desespero, e para a surpresa de ninguém, quando fomos olhar, meu peito do lado direito estava praticamente preto, roxo e azul, um azul que já te digo, nem um pouco normal. Fomos pro hospital e após alguns exames, o diagnóstico foi três costelas quebradas. O médico disse que pela posição, elas calcificariam naturalmente e não precisaria de cirurgia, o que foi um alívio. Fiquei em observação e praticamente sedada em morfina por alguns dias, porém, quanto mais esses dias passavam, a dor piorava e piorava até chegar ao ponto de ser insuportável.
Meus pais marcaram outros exames, como ultrassonografia, exame de sangue e etc, e após tais, o médico da clínica disse que o trauma tinha sido severo, que meus músculos e nervos haviam absorvido completamente o impacto e bom, tive lesões extremamente severas, estiramento muscular, o tendão que se prende ao osso descolou completamente, os nervos intercostais que ficam entre as costelas tiveram ruptura, rasgaram e inflamaram, e a recuperação, disse ele, seria de 6 a 8 meses.
Para você ter uma noção, a dor, é indescritível, é de gritar e acordar chorando, não da pra respirar, não da pra andar, não da pra sentar, se movimentar, não da pra dormir. O peito parece que queima, parece que vibra de tanto que dói, as vezes acho que levar mil facadas no mesmo lugar doeria menos do que isso, e não é exagero. Eu fiquei praticamente o ano de 2019 inteiro de cama, acordava chorando dezenas de vezes por noite, as vezes chorava de exaustão e frustração porque dormir era impossível. Meus sonhos, você pergunta, todos descartados no lixo. Eu me sentia completamente entorpecida, era como um cadaver vivendo dentro de uma casca. Esse acidente literalmente acabou com a minha vida, se eu não podia sentar na mesa para almoçar com a minha família, imagina trabalhar, mudar pra outra cidade, fazer as coisas que eu sonhava? Essa experiência foi e continua sendo um inferno, porque até hoje eu estou no mesmo ponto, vivendo dia a dia com uma dor que não passa, só se aprofunda, não cura, não melhora, apenas atormenta e eu? Bom, não sobrou muito daquele eu feliz de 2018, voltei pro ponto zero.
Eu te pergunto, depois de uma experiencia dessas, depois de 1 ano e oito meses que estou vivendo esse inferno, isso não muda uma pessoa? Pois bem, muda sim.
Minha depressão voltou mais forte do que nunca, já não sentia mais vontade de fazer nada, parei de falar com as pessoas porque eu simplesmente não tinha mais forças, comecei a me isolar, a evitar contato, já não entrava mais em rede social, não sentia, não sinto, vontade de viver, de conversar de existir, e é nessas horas que a gente percebe quem realmente importa.
Meus pais e meu irmão estavam e estão do meu lado sempre, sempre que tenho febres, sempre que preciso de ajuda pra fazer alguma coisa; comer, ir de um cômodo para o outro e etc. E o 'E', o E me visita sempre que pode, vem nas férias, feriados e as vezes finais de semana, me ajuda, me distrai e é o amigo que eu não mereço, é praticamente meu outro irmão e eu agradeço a Deus até hoje por ter me dado esse presentinho mais que especial que eu amo mais que a vida. Tiveram noites que ele acordou de madrugada pra ver se eu estava com febre, computou todos os horários das minhas medicações pra me lembrar de tomar os remédios, quando ele não estava na minha casa sempre perguntava se dormi o suficiente, se comi o suficiente, se bebi água o suficiente. Ele me fez assistir Jojo inteiro e me aguentou todas as vezes que eu quis assistir Mo Dao Zu Shi de novo e de novo e de novo, tanto que agora é o anime preferido dele também e eu que sei, obrigada.
G, G foi um anjo também, ela ligava quando eu não conseguia dormir e assistia anime comigo, vinha vez ou outra e me tirava de casa, tinha toda a paciência de esperar eu andar devagar, sempre com a mão segura dentro da minha e bem, sempre perguntava se eu estava melhor, se estava bem e se precisava de alguma coisa, ela foi um amor, e dela não tenho nada a reclamar, será?
C, bom, C nunca perguntou nada, nunca quis saber como eu estava, apenas mandava mensagem quando precisava de alguma coisa, pediu que eu fizesse o design de uma tatuagem pra ela e mesmo com dor, sentei por horas e fiz, mandei pra ela e ela além de não agradecer, fez pouco caso e disse que tinha desistido de fazer. Okay, passou. C veio duas vezes pra cidade, até porque, a família dela mora aqui, ela faz faculdade em outra cidade e vez ou outra vem pra cá. Duas dessas vezes ela me chamou pra ir na casa dela, e eu idiota que sou, me arrumei e fui com dor mesmo, até porque, estava com saudades. Porém, o dizer da experiência? Uma pessoa com dor crônica involuntariamente geme toda vez que faz algum movimento, e comigo não é diferente, eu tento segurar mas as vezes o corpo responde e reage por si só, e C, ela sempre tinha uma piadinha na ponta da língua, "Nossa fia, não para de gemer não?", "Vai gemer a noite inteira? Não pode dar dois passos que geme." e caía na risada, instigando as outras amigas dela a fazerem o mesmo, e eu me sentia humilhada, e não era de menos. Da segunda vez que ela veio, ela me mandou a seguinte mensagem: "Quer vir aqui? Eu tinha chamado a Calrs, mas como ela não vai poder vir estou sozinha e entediada." e eu falei que ia, pra ela responder com "Então passa no mercado e compra pão de hambúrguer." era eu ou era o pão que ela queria a presença? Fica ai o questionamento pra vocês.
A noite prosseguiu com as mesmas piadinhas sem graças da outra vez e etc. Nunca mais mandou mensagem depois disso.
Inclusive, várias pessoas já me falaram que ela não era boa coisa, minha mãe principalmente, nunca gostou tanto dela, até meu ex, detestava ela com tudo que tinha, e eu sempre a defendi com unhas e dentes pra todo mundo que pensava em bufar um A contra ela. Até porquê, ela era minha melhor amiga.
A G, veio me ver uma noite, saímos e acabamos ficando e foi só aí que eu percebi que estava apaixonada por ela, fiquei dias juntando coragem pra confessar ou simplesmente esclarecer se poderia rolar algo ou não entre a gente, e já estávamos planejando de ficar de novo quando ela viesse da próxima vez.
No natal, as duas vieram pra minha cidade, e eu ia passar em casa com o E, já que minha família ia passar em outro lugar. O clima estava tenso passei a noite de natal com febre, deitada no sofá e praticamente evitando olhar pro E porque eu sabia que ele estava engolindo o choro, e sabe? Ele disse depois que doía me ver do jeito que eu estava e que ele simplesmente não conseguia não sentir, que se ele pudesse dividiria a dor comigo. Um anjo? Sim.
Na mesma noite recebi uma mensagem da C, perguntando se eu queria passar o dia 25 com ela e a G, elas iam subir uma trilha e passar o dia no rio, e obviamente eu respondi que não tinha condição, que se elas quisessem passar aqui em casa depois e passar a noite, a porta estava aberta, mas não, eu não podia ir, mas ela queria ir pro tal rio e tentou me convencer de todas as formas possíveis, e quando eu dei meu não definitivo, ela simplesmente não respondeu mais, e eu não me dei o trabalho de responder também. 'E' ficou revoltado e disse que a falta de caráter e a audácia dela era de dar ódio, que só eu não via o quão manipuladora ela era, e realmente.
Eu piorei depois disso, estava com uma ressonância marcada em São Paulo, e só de pensar nas agonizantes horas que ia ter que passar dentro do carro pra ir e voltar, já era o suficiente para me causar uma crise de pânico atrás da outra, e a partir daí comecei a me isolar completamente. Meu pânico de contato começou a se agravar, eu comecei a ter medo de falar com as pessoas e ter que explicar, ter ou que mentir que estava bem ou desmoronar quando dizia que não estava, e num desabado, postei em uma das minhas redes sociais que doía, doía estar presa dentro de mim mesma, doía não estar dando o melhor de mim pras pessoas que eu amava, doía não estar sendo boa o suficiente, e que tudo que eu pedia, era que não desistissem de mim se eu por algum motivo, eu me perdesse.
Dez minutos depois C respondeu ao desabafo, e essas foram as seguintes mensagens:
"A pessoa fica falando que os amigos abandonam ela mas ela mesma faz todo mundo se afastar, eu mesma já desisti, se faz pouco caso comigo, também faço pouco caso com ela. Se faz de vítima do cacete mas só faz merda. Reveja seus conceitos."
"Ain, não me abandona, mas quando eu tentava manter contato se fingia de morta, quando eu convidava pra sair sempre dava uma desculpa. Você está jogando todos os nossos anos de amizade no lixo e a culpa é sua SIM. Minha parte eu fiz, seu vitimismo e seu drama não me afetam mais."
Na mesma semana, um perfil sem foto e sem seguidores, basicamente uma conta fantasma, me mandou uma solicitação de mensagem e dizendo que me conhecia e conhecia tanto a C quanto a G e que essa pessoa não achava justo o que elas faziam; parece que C e G falavam de mim pelas costas, falavam pros outros que eu inventava essa dor simplesmente para chamar atenção, que provavelmente eu tinha até inventado esse acidente pra poder me fazer de coitada, que era puro drama e novela barata.
Eu não sei quem era, depois fui entrar nessa conta de novo e o perfil havia sido deletado. Só sei que nunca mais mandei mensagem pra nenhuma das duas, nunca mais vou também, não quis saber se era verdade ou não, simplesmente apaguei números, conversas e tudo que tinha relação com as duas, até porque, pelas mensagens que a própria C postou, bem provável que seja tudo verdade realmente, o que apenas dói mais ainda. Da C eu esperava, da G, não. Infelizmente, meu coração ainda pertence a ela mesmo depois de tudo, o que só piora as coisas pra mim.
Bom, só sei que precisava tirar isso do peito e perguntar para vocês, fui babaca por ter me isolado da forma que me isolei e ter permanecido em silêncio em momentos que eu estava em agonia? Fui babaca por não ter dado a atenção e o cuidado necessário pras minhas amizades quando eu deveria? Porque mesmo depois de muito tempo ainda sinto que é culpa minha isso ter chegado onde chegou, ao ponto que chegou. Eu sei lá, não quero conversar com elas porque sei que é caso perdido, o máximo que vou receber é desdém e sarcasmo, mas isso me perturba, talvez eu seja trouxa? Bem provável.

Enfim, era isso, mais um desabafo que um julgamento. Pra status, não consegui fazer a ressonância por conta do isolamento e meus pais acham que é arriscado me levar no hospital num momento desses. Esse mês faz um ano e oito meses que eu estou com essa dor contínua e não tenho prazo de melhora, mas sigo indo e sobrevivendo.
Lubisco e turma, obrigada por lerem minha trágica história. Dói um pouquinho menos depois de ter escrito tudo isso. E ah, não posso ir embora antes de coagir vocês a assistirem meu anime preferido, então anota Mo Dao Zu Shi aí e da uma olhada, melhor anime ever com o melhor ship LGBT do universo, recomendo ler o novel depois de assistir o anime e depois assistir o anime de novo porque tem muito detalhe que passa despercebido. Esse novel ganhou uns 500 prêmios e tem mais adaptação que o caralho, e é a única coisa que me trás um pouco de alívio e paz nessa situação, e espero que traga pra alguém nessa quarentena também.
Um grande beijo, S.
submitted by Shinvk to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.16 09:12 caiodamned Demônio do amor

Olá, Lucas, como estás? bem? Ótimo. Antes de começar, quero dizer q sou da Bahia mas n falo com sotaque. Essa é uma história do meu primeiro amor em que fui muito zoado. Bem... Esse drama começou à MUITO tempo, eu gostava de uma garota da minha sala de aula, nós temos a mesma idade. Eu comecei a gostar dela um tempo dps de conhecer ela, mas tinha muita vergonha de falar com ela, e ela ficava tipo fds para mim. Eu sempre tentava tomar coragem pra falar pessoalmente com ela mas nunca conseguia, um dia eu fui pro pc e entrei no face pra falar com ela pelo chat e mandei umas mensagens dizendo como gostava dela e dizendo q iria dar presentes ;-; bem escroto kk. eu achava ela uma achava ela uma deusa, muito linda, eu era extremamente apaixonado por ela. pensando nisso hj parece que eu perdia o controle do meu corpo e um demônio entrava no controle e fazia coisas sem sentido. Alguns dias depois ela respondeu a minha mensagem, eu fiquei todo esperançoso, aquela coisa boa e ruim ao mesmo tempo, na mensagem ela respondeu dizendo que não gostava de mim, era muito nova e iria chamar o pai dela se eu continuasse a conversar com ela. Eu li aquela mensagem com o coração caindo aos pedaços, na minha cabeça ela escreveu aquilo com bastante raiva de mim, fiquei muito triste por causa disso. No dia seguinte ela contou isso pra todos da sala de aula, fiquei tremendo de pura vergonha, até pessoas que eu nem conhecia ficavam me zoando pra krl, eu era tão novinho quando isso aconteceu. Hoje eu apenas jogo tudo pra cima ligando o fds. Essa foi a história do meu primeiro amor. bjs <3
submitted by caiodamned to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.11 04:07 caiodamned Demônio do amor

Ola Lucas, turma, editores e gatas, como cês estão? Antes de começar, quero dizer q sou da Bahia mas n falo com sotaque. Essa é uma história do meu primeiro amor em que fui muito zoado. Bem... Esse drama começou à MUITO tempo, eu gostava de uma garota da minha sala de aula, nós temos a mesma idade. Eu comecei a gostar dela um tempo dps de conhecer ela, mas tinha muita vergonha de falar com ela, e ela ficava tipo fds para mim. Eu sempre tentava tomar coragem pra falar pessoalmente com ela mas nunca conseguia, um dia eu fui pro pc e entrei no face pra falar com ela pelo chat e mandei umas mensagens dizendo como gostava dela e dizendo q iria dar presentes ;-; bem escroto kk. eu achava ela uma achava ela uma deusa, muito linda, eu era extremamente apaixonado por ela. pensando nisso hj parece que eu perdia o controle do meu corpo e um demônio entrava no controle e fazia coisas sem sentido. Alguns dias depois ela respondeu a minha mensagem, eu fiquei todo esperançoso, aquela coisa boa e ruim ao mesmo tempo, na mensagem ela respondeu dizendo que não gostava de mim, era muito nova e iria chamar o pai dela se eu continuasse a conversar com ela. Eu li aquela mensagem com o coração caindo aos pedaços, na minha cabeça ela escreveu aquilo com bastante raiva de mim, fiquei muito triste por causa disso. No dia seguinte ela contou isso pra todos da sala de aula, fiquei tremendo de pura vergonha, até pessoas que eu nem conhecia ficavam me zoando pra krl, eu era tão novinho quando isso aconteceu. Hoje eu apenas jogo tudo pra cima ligando o fds. Essa foi a história do meu primeiro amor. bjs <3
submitted by caiodamned to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.09 15:24 evelyndaturma sou a babaca por bloquear minha amiga de infância?

olá luba, turma/chat, gatas e mundo, tudo começou mês passado, eu tinha um cachorro, ele tinha 13 anos e tava bem doente, a gente tentou manter com os remédios e muito amor mas infelizmente o coração dele não aguento o inverno aqui do sul, foi muito doloroso pra mim e minha família, eu fiquei muito mal e desliguei meu celular porque não sentia forças para conversar com ninguém, depois de duas semanas liguei o celular e tinha várias mensagens da minha amiga e juntei muita força para dizer o que tinha acontecido, olha foi muito solidária e me deu várias palavras de conforto, dias depois ela começou a me mandar fotos do cachorro dela dizendo o quanto ele estava lindo e que comprou brinquedos pra ele, eu falei que sim ele estava fofo e pedi pra ela não falar sobre cachorros no momento porque qualquer coisa me lembrava meu cachorro e a dor que eu sentia e ainda sinto é horrível, ela ficou uma hora sem me responder e quando voltou para o whatsapp ela me mandou outras fotos do cachorro dela, eu fiquei chateada e pedi pra ela respeitar meus sentimentos e ela disse “tá, eu sei que sei cachorro morreu mas nós estamos falando sobre mim agora eu da sua opinião” eu fiquei com muita raiva na hora e bloquei ela, porque foi muito egoista, tá sendo muito difícil pra mim, e quando eu precisava de alguém pra me dar conforto, ela ela falou de um jeito que sinceramente me machucou. Os pais dela entraram em contato com os meus, o pai dela reclamou sobre o block que dei nela e disse que fui dramática, contei pros meus pais que ficaram do meu lado, ate hoje não desbloqueei ela e também não sinto vontade de fazer.. e aí? sou a babaca?
View Poll
submitted by evelyndaturma to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.04 21:31 lysguil Preciso de conselhos e analisem a situação pra mim por favor

Oi galera, eu queria pedir um conselho para vocês. É em relação a relacionamento e agradeço a quem puder me ajudar nessa, tá foda. Eu estou abrindo minha alma e coração nesse texto, direi toda a verdade
Primeiro me deixem contar algumas coisas sobre mim, isso pode ajudar a entender algumas das minhas ações. Isso não me exime de culpa, sei disso e não vou usar nada disso para me fazer de vítima ou pra me eximir de responsabilidades. Sei que a culpa foi toda minha.
Primeiro de tudo eu não sou um neurotipico. Não tenho autismo mas, embora minha família (meu pai mais precisamente) não tenha deixado que um diagnóstico fosse feito, ficou claro para todos desde criança que eu tinha algo. Eu odeio do fundo do coração o barulho. Odeio sons altos em geral, isso inclui música e por isso não consigo ficar muito tempo em festas. Para aguentar ficar em ambientes barulhentos eu preciso ficar bêbado e ainda assim é bastante incômodo.
A segunda coisa para se saber sobre mim é que sofri abuso sexual na infância. Foram duas mulheres diferentes, nenhuma delas da minha família. Nunca contei pra minha família e acho que nunca irei contar. Bom, não sei dizer como me sinto sobre isso. Acho que minha tara sexual tem a ver com isso. As vezes eu choro quando me lembro mas não sinto anda sobre. É normal isso? Enfim, eu não sei pq quanto isso me afetou. Sofri abuso até os 11 anos e para ser honesto, como homem eu não consigo falar sobre o que a segunda mulher fez comigo. É humilhante demais. Vou morrer e levar isso para o túmulo.
A terceira coisa que preciso contar é que fui diagnosticado com depressão ao 13 anos de idade. Eu era pequeno, magricelo e esquisito. Gostava de cards do Yu gi oh e fixar isolado na biblioteca da escola (Pq era um lugar silencioso), então da pra imaginar quanto bullying eu sofria. Enfim, a depressão me deixou quebrado e teve seus picos. Nessa época tive minha primeira tentativa de suicídio. Minha família nunca soube. No dia seguinte ainda fui pra escola, como se nada tivesse acontecido. Essa foi a primeira de uma série de tentativas.
Agora que já falei essas características eu vou começar a falar meu problema, peço perdão se ficar muito longo. Aos 16 anos eu tive uma namorada e ela morreu de câncer. Isso piorou meu quadro depressivo, eu fiquei agressivo e aprendi a resolver as coisas com violência. Tentei me matar mais algumas vezes e tava foda. Eu tomava tantos remédios para a depressão que ficava grogue, totalmente dopado meio hora depois de tomar. Minha mãe me fez parar, com o apoio da minha vó. Eu estava começando a superar a coisa quando minha vó, a pessoa que eu mais amava na vida, faleceu subitamente. Deus, acho que eu... Bom eu nem sei dizer o que eu sentia. Simplesmente não sei. Doeu mais do que tudo. Depois desse dia eu não conseguia chorar, não conseguia sentir. Fiquei anestesiado sabe? Meu psiquiatra falou UE eu estava num estado de "melancolia", onde eu não conseguia mais sentir felicidade. Eu poderia ficar alegre ou coisas do tipo mas verdadeira felicidade era impossível. Bom, foi foda. Eu tinha 17 na época.
Fiz amizade com uma garota aos 16, Melissa, ela fazia terapia em grupo comigo. Era meio patricinha mimada mas uma boa pessoa. A gente conversava e diziamos nossos planos um pro outro. Ela me ajudou a superar a barra da terapia. Quando eu tinha 18 e ainda estava sentindo o impacto da perda da minha vó, essa garota se matou. No mesmo dia ela pediu pra conversar comigo e eu não estava em casa para conversar (nos falávamos pelo facebook). Eu só fui saber sobre pelas postagens no Facebook dela. Eu não senti nada na hora, achei que não tinha em afetado, anos depois eu ia perceber o quanto me afetou.
Bom, eu segui minha vida. Comecei a faculdade de direito, minha mãe queria um filho juiz e eu tava no piloto automático. Só fui seguindo. Fiz pouco tempo do curso de direito e realmente não era pra mim. No começo de 2018 eu conheci uma garota pela internet. Ela tinha 15 e eu 19. Ela morava em uma cidade um tanto distante mas dentro do mesmo estado que eu moro e a gente começou a papear. Mano, eu garoto incrível! Sério, era maravilhosa demais. Eu vou resumir pra vocês a questão: Eu me assustei com ela, a depressão ainda estava forte e eu não sabia o que tava acontecendo. Por fim eu me afastei dela e e bloqueei no Facebook. Eu sei, sou um tremendo babaca.
Fiquei mais alguns meses na minha vida de merda e fui jogar habbo hotel. Eu sei, eu sei. Coisa de criança mas só queria sentir aquilo que eu sentia novamente quando tinha 11 anos e jogava RPGs no hotel. Não consegui claro. Eu cresci, o mundo mudou e não dá pra voltar a infância. No jogo uma garota conversou comigo, tinha 19 também e me pediu o insta pra conversar. Eu fui e fiz um insta com a intenção de papear um pouco. A partir daqui eu me torno o monstro. De verdade. A garota tinha depressão também e me falava sobre os problemas dela mas também puxada uns assuntos mais sexuais. Não sexuais entre eu e ela, ela só contava como eram as transas dela e eu perguntava uma coisa ou outra sobre as minhas. Eu contava na boa. E os meses foram passando. Eu era um homem quebrado servindo de confidente pra uma garota aleatória da internet.
Eu desbloqueei a garota do começo do ano e voltamos a nos falar. Ela era legal, alegre, bonita e maravilhosa. E ela gostava de mim! Deus do céu ela gostava de mim! Eu também gostava dela. Eu contei algumas mentiras sobre mim pra ela, pra impressionar um pouco mas sempre disse "eu sou um homem quebrado", eu falava que minha cabeça tava toda ferrada o tempo todo pra ela. Ela disse que não se importava e me pedia para ir vê-la na cidade dela. Eu pensava em ir, fazia de tudo para ir... e na última hora eu dava para trás. Não conseguia ir. A minha vida de amar a distância e ser confidente seguiu até o final do ano de 2018. No ano novo eu tomei uma decisão: ia pedir a garota da outra cidade em namoro. Eu pedi e ela aceitou. Ok, vão me chamar de gado e tudo bem. Eu estava na casa de praia que minha mãe tinha comprado e pretendia visitar a garota assim que voltasse.
Quando voltei veio a notícia: Eu tinha conseguido a vaga em gastronomia! Era a porra do meu sonho ali! Fui correr atrás de documentos, matrícula, uniforme e material. Nisso passou algumas semanas e como não fui ver a garota ela terminou comigo e me falou que eu tava fazendo ela de trouxa de novo (ela sentia que eu tinha feito ela de trouxa em 2018 inteiro). Depois de uma semana ela veio falar comigo e minhas aulas já estavam começando. Demorei um mês para conseguir ir vê-la e quando cheguei lá... Ela era divina. Maravilhosa. Eu tive que esperar ela na rodoviária e pensei que tinha caído em alguma pegadinha kkkkk mas ela veio e eu fiquei muito feliz. A gente foi no shopping, assistiu um filme e ela me convenceu a passar a noite na casa dela. Dormir na sala claro, os pais dela concordaram. Não vou mentir: agi cono um idiota nesse dia. A depressão e a irritabilidade me faziam ser muito imbecil e babaca (eu me envergonho e me arrependo muito disso hoje).
Bom, nessa época não estávamos namorando e eu dizia que não ia pedir ela em namoro (tava com orgulho ferido por ela ter terminado comigo). Um dia ela me falou tava com dor e ficou o dia todo sem me responder mais. Mano, eu morri de preocupação! Fiquei desesperado. Quando ela finalmente leu minhas mensagens eu pedi ela em namoro. Joguei o orgulho de lado e pedi em namoro a mulher que eu amava. Bem, Eu fui ver ela mais vezes, no aniversário de 17 dela e outros. Enfim, seguindo adiante.
Bom, lembra da mina da internet? Então. A gente continuava conversando sempre mas ela tava cada vez mais deprimida e mais dependente emocionalmente de mim. Ela me contava as coisas e eu só ouvia agora, ela falava bastante de sexo e afins. Sei que era errado com minha namorada mas é aí que entra a Melissa na história: foi nisso que a morte dela me afetou, eu não conseguia deixar outra pessoa na mão. Eu sei como a depressão dói, como família pode ser tóxica para nós e não conseguia deixar ela de lado. Eu errei e fui fraco e deixei a situação continuar assim. Um dia o Instagram dessa garota foi hackeado e ela achou que foi eu por algum motivo. Ela foi atrás da minha namorada, que eu já tinha dito o nome, e falou que eu namorava ela virtualmente, eu era um perseguidor e não sei mais o que. Eu realmente não sei tudo que ela disse. Eu expliquei pra minha namorada e tudo mais, que era por causa da depressão da garota e que eu não conseguia deixar de lado. Disso que não tinha nada com ela. Bom, eu não estou me justificando e minha namorada terminou comigo. Com razão ela. Eu fui um idiota, um merda, um babaca completo.
Eu implorei muito uma chance e tals e por fim ela me perdoou. Não voltou a como era antes mas me perdoou. Tá ficando muito grande então vou resumir essa parte. Eu fiz merda de novo.
Tinha uma amiga do Rio de Janeiro que gosta de flertar e mesmo eu não dando abertura ela falou que queria transar comigo na praia tomando vinho. Eu cortei esse papo e tals. Numa outra conversa eu tava falando merda, contando vantagem como homem idiota costuma fazer. Falei que tinha pego várias garotas de um outro curso da minha faculdade (mentira que homem conta) para essa amiga. Bom, minha namorada viajou comigo e olhou minhas conversas no celular enquanto eu dormia. Aí ela terminou comigo de vez no começo do ano passado.
Eu sei, a culpa é minha e só minha. Não vou justificar essas atitudes com minhas doenças ou algo do tipo. Erro só meu. Eu expliquei pra minha ex namorada e pedi a ela pra poder tentar reconquistar ela. Ela concordou e eu fiquei tentando, mostrando que podia ser mais atencioso e que podia mudar. Ela começou a ficar com um carinha e eu com uma mina,mas eu continuava tentando e ela me deixava tentar. Uma dia ela decidiu que não era mais pra eu tentar, que me amava mas que não valia mais a pena. Eu queria continuar tentando. Discutimos muito mas eu por fim aceitei.
Ela quis manter a amizade e eu concordei. Só que meu conceito de amizade e o dela diferem muito e isso causa muitos atritos. Ela disse que não me ama mais, algumas atitudes dela me dizem que ela ama (eu li diversos livros de psicologia e sobre relacionamento e eles apontam as atitudes dela como amor). A última coisa que aconteceu foi uma que me magoou de um jeito estranho.
A poucos dias eu tive um desmaio (tenho algumas problemas de saúde) e cai da laje da minha casa. Quebrei um braço e tals. Quando postei nos stories de whats que tava quebrado ela perguntou se eu tinha sido atropelado e eu falei que não, que cai da laje. Ela fez uma brincadeira dizendo basicamente "podia ter morrido né" só que desejando minha morte. Eu sei que foi uma brincadeira mas me doeu muito. Pq ela sabe que já tentei me matar 15 vezes, inclusive uma esse ano. Eu esqueci de contar lá em cima mas minha melancolia foi embora. Eu tô meio que curado disso e tô sentindo prazer em viver de novo. Ela fez essa brincadeira e me doeu demais, demais mesmo. Eu falei pra ela algumas merdas e ela me chamou de dramático (ela diz isso sempre que eu reclamo de algo, talvez eu seja mesmo) e isso doeu ainda mais. Eu sinto que toda vez que reclamo com ela sobre como as atitudes dela me machucam ela me chama de dramático e menospreza minha dor.
Esse ano ela veio me falar que tava com princípio de depressão e eu conversava com ela sempre que ela precisava, eu só precisei conversar uma vez e ela disse que não queria conversar. Bom, eu me senti mal com isso. Foi ali que vi que nossos padrões de amizade são diferentes.
Enfim, essa última brincadeira que me matou. Vocês vão perguntar pq a gente não se bloqueia e se esquece. A resposta é: eu não sei. Eu sei que amo muito ela e acredito que ela me ama. Depois da briga ela me bloqueou e horas depois me desbloqueou (mas excluiu meu número segundo ela). Eu queria alguns conselhos, opiniões e que analisem a minha história e me digam o que pensam sobre tudo. Sobre tudo mesmo!por favor, ajudem esse idiota que fez tudo errado na vida
submitted by lysguil to desabafos [link] [comments]


2020.06.04 19:02 lysguil Preciso de um conselho ou dois

Oi galera, eu queria pedir um conselho para vocês. É em relação a relacionamento e agradeço a quem puder me ajudar nessa, tá foda.
Primeiro me deixem contar algumas coisas sobre mim, isso pode ajudar a entender algumas das minhas ações. Isso não me exime de culpa, sei disso e não vou usar nada disso para me fazer de vítima ou pra me eximir de responsabilidades. Sei que a culpa foi toda minha.
Primeiro de tudo eu não sou um neurotipico. Não tenho autismo mas, embora minha família (meu pai mais precisamente) não tenha deixado que um diagnóstico fosse feito, ficou claro para todos desde criança que eu tinha algo. Eu odeio do fundo do coração o barulho. Odeio sons altos em geral, isso inclui música e por isso não consigo ficar muito tempo em festas. Para aguentar ficar em ambientes barulhentos eu preciso ficar bêbado e ainda assim é bastante incômodo.
A segunda coisa para se saber sobre mim é que sofri abuso sexual na infância. Foram duas mulheres diferentes, nenhuma delas da minha família. Nunca contei pra minha família e acho que nunca irei contar. Bom, não sei dizer como me sinto sobre isso. Acho que minha tara sexual tem a ver com isso. As vezes eu choro quando me lembro mas não sinto anda sobre. É normal isso? Enfim, eu não sei pq quanto isso me afetou. Sofri abuso até os 11 anos e para ser honesto, como homem eu não consigo falar sobre o que a segunda mulher fez comigo. É humilhante demais. Vou morrer e levar isso para o túmulo.
A terceira coisa que preciso contar é que fui diagnosticado com depressão ao 13 anos de idade. Eu era pequeno, magricelo e esquisito. Gostava de cards do Yu gi oh e fixar isolado na biblioteca da escola (Pq era um lugar silencioso), então da pra imaginar quanto bullying eu sofria. Enfim, a depressão me deixou quebrado e teve seus picos. Nessa época tive minha primeira tentativa de suicídio. Minha família nunca soube. No dia seguinte ainda fui pra escola, como se nada tivesse acontecido. Essa foi a primeira de uma série de tentativas.
Agora que já falei essas características eu vou começar a falar meu problema, peço perdão se ficar muito longo. Aos 16 anos eu tive uma namorada e ela morreu de câncer. Isso piorou meu quadro depressivo, eu fiquei agressivo e aprendi a resolver as coisas com violência. Tentei me matar mais algumas vezes e tava foda. Eu tomava tantos remédios para a depressão que ficava grogue, totalmente dopado meio hora depois de tomar. Minha mãe me fez parar, com o apoio da minha vó. Eu estava começando a superar a coisa quando minha vó, a pessoa que eu mais amava na vida, faleceu subitamente. Deus, acho que eu... Bom eu nem sei dizer o que eu sentia. Simplesmente não sei. Doeu mais do que tudo. Depois desse dia eu não conseguia chorar, não conseguia sentir. Fiquei anestesiado sabe? Meu psiquiatra falou UE eu estava num estado de "melancolia", onde eu não conseguia mais sentir felicidade. Eu poderia ficar alegre ou coisas do tipo mas verdadeira felicidade era impossível. Bom, foi foda. Eu tinha 17 na época.
Fiz amizade com uma garota aos 16, Melissa, ela fazia terapia em grupo comigo. Era meio patricinha mimada mas uma boa pessoa. A gente conversava e diziamos nossos planos um pro outro. Ela me ajudou a superar a barra da terapia. Quando eu tinha 18 e ainda estava sentindo o impacto da perda da minha vó, essa garota se matou. No mesmo dia ela pediu pra conversar comigo e eu não estava em casa para conversar (nos falávamos pelo facebook). Eu só fui saber sobre pelas postagens no Facebook dela. Eu não senti nada na hora, achei que não tinha em afetado, anos depois eu ia perceber o quanto me afetou.
Bom, eu segui minha vida. Comecei a faculdade de direito, minha mãe queria um filho juiz e eu tava no piloto automático. Só fui seguindo. Fiz pouco tempo do curso de direito e realmente não era pra mim. No começo de 2018 eu conheci uma garota pela internet. Ela tinha 15 e eu 19. Ela morava em uma cidade um tanto distante mas dentro do mesmo estado que eu moro e a gente começou a papear. Mano, eu garoto incrível! Sério, era maravilhosa demais. Eu vou resumir pra vocês a questão: Eu me assustei com ela, a depressão ainda estava forte e eu não sabia o que tava acontecendo. Por fim eu me afastei dela e e bloqueei no Facebook. Eu sei, sou um tremendo babaca.
Fiquei mais alguns meses na minha vida de merda e fui jogar habbo hotel. Eu sei, eu sei. Coisa de criança mas só queria sentir aquilo que eu sentia novamente quando tinha 11 anos e jogava RPGs no hotel. Não consegui claro. Eu cresci, o mundo mudou e não dá pra voltar a infância. No jogo uma garota conversou comigo, tinha 19 também e me pediu o insta pra conversar. Eu fui e fiz um insta com a intenção de papear um pouco. A partir daqui eu me torno o monstro. De verdade. A garota tinha depressão também e me falava sobre os problemas dela mas também puxada uns assuntos mais sexuais. Não sexuais entre eu e ela, ela só contava como eram as transas dela e eu perguntava uma coisa ou outra sobre as minhas. Eu contava na boa. E os meses foram passando. Eu era um homem quebrado servindo de confidente pra uma garota aleatória da internet.
Eu desbloqueei a garota do começo do ano e voltamos a nos falar. Ela era legal, alegre, bonita e maravilhosa. E ela gostava de mim! Deus do céu ela gostava de mim! Eu também gostava dela. Eu contei algumas mentiras sobre mim pra ela, pra impressionar um pouco mas sempre disse "eu sou um homem quebrado", eu falava que minha cabeça tava toda ferrada o tempo todo pra ela. Ela disse que não se importava e me pedia para ir vê-la na cidade dela. Eu pensava em ir, fazia de tudo para ir... e na última hora eu dava para trás. Não conseguia ir. A minha vida de amar a distância e ser confidente seguiu até o final do ano de 2018. No ano novo eu tomei uma decisão: ia pedir a garota da outra cidade em namoro. Eu pedi e ela aceitou. Ok, vão me chamar de gado e tudo bem. Eu estava na casa de praia que minha mãe tinha comprado e pretendia visitar a garota assim que voltasse.
Quando voltei veio a notícia: Eu tinha conseguido a vaga em gastronomia! Era a porra do meu sonho ali! Fui correr atrás de documentos, matrícula, uniforme e material. Nisso passou algumas semanas e como não fui ver a garota ela terminou comigo e me falou que eu tava fazendo ela de trouxa de novo (ela sentia que eu tinha feito ela de trouxa em 2018 inteiro). Depois de uma semana ela veio falar comigo e minhas aulas já estavam começando. Demorei um mês para conseguir ir vê-la e quando cheguei lá... Ela era divina. Maravilhosa. Eu tive que esperar ela na rodoviária e pensei que tinha caído em alguma pegadinha kkkkk mas ela veio e eu fiquei muito feliz. A gente foi no shopping, assistiu um filme e ela me convenceu a passar a noite na casa dela. Dormir na sala claro, os pais dela concordaram. Não vou mentir: agi cono um idiota nesse dia. A depressão e a irritabilidade me faziam ser muito imbecil e babaca (eu me envergonho e me arrependo muito disso hoje).
Bom, nessa época não estávamos namorando e eu dizia que não ia pedir ela em namoro (tava com orgulho ferido por ela ter terminado comigo). Um dia ela me falou tava com dor e ficou o dia todo sem me responder mais. Mano, eu morri de preocupação! Fiquei desesperado. Quando ela finalmente leu minhas mensagens eu pedi ela em namoro. Joguei o orgulho de lado e pedi em namoro a mulher que eu amava. Bem, Eu fui ver ela mais vezes, no aniversário de 17 dela e outros. Enfim, seguindo adiante.
Bom, lembra da mina da internet? Então. A gente continuava conversando sempre mas ela tava cada vez mais deprimida e mais dependente emocionalmente de mim. Ela me contava as coisas e eu só ouvia agora, ela falava bastante de sexo e afins. Sei que era errado com minha namorada mas é aí que entra a Melissa na história: foi nisso que a morte dela me afetou, eu não conseguia deixar outra pessoa na mão. Eu sei como a depressão dói, como família pode ser tóxica para nós e não conseguia deixar ela de lado. Eu errei e fui fraco e deixei a situação continuar assim. Um dia o Instagram dessa garota foi hackeado e ela achou que foi eu por algum motivo. Ela foi atrás da minha namorada, que eu já tinha dito o nome, e falou que eu namorava ela virtualmente, eu era um perseguidor e não sei mais o que. Eu realmente não sei tudo que ela disse. Eu expliquei pra minha namorada e tudo mais, que era por causa da depressão da garota e que eu não conseguia deixar de lado. Disso que não tinha nada com ela. Bom, eu não estou me justificando e minha namorada terminou comigo. Com razão ela. Eu fui um idiota, um merda, um babaca completo.
Eu implorei muito uma chance e tals e por fim ela me perdoou. Não voltou a como era antes mas me perdoou. Tá ficando muito grande então vou resumir essa parte. Eu fiz merda de novo.
Tinha uma amiga do Rio de Janeiro que gosta de flertar e mesmo eu não dando abertura ela falou que queria transar comigo na praia tomando vinho. Eu cortei esse papo e tals. Numa outra conversa eu tava falando merda, contando vantagem como homem idiota costuma fazer. Falei que tinha pego várias garotas de um outro curso da minha faculdade (mentira que homem conta) para essa amiga. Bom, minha namorada viajou comigo e olhou minhas conversas no celular enquanto eu dormia. Aí ela terminou comigo de vez no começo do ano passado.
Eu sei, a culpa é minha e só minha. Não vou justificar essas atitudes com minhas doenças ou algo do tipo. Erro só meu. Eu expliquei pra minha ex namorada e pedi a ela pra poder tentar reconquistar ela. Ela concordou e eu fiquei tentando, mostrando que podia ser mais atencioso e que podia mudar. Ela começou a ficar com um carinha e eu com uma mina,mas eu continuava tentando e ela me deixava tentar. Uma dia ela decidiu que não era mais pra eu tentar, que me amava mas que não valia mais a pena. Eu queria continuar tentando. Discutimos muito mas eu por fim aceitei.
Ela quis manter a amizade e eu concordei. Só que meu conceito de amizade e o dela diferem muito e isso causa muitos atritos. Ela disse que não me ama mais, algumas atitudes dela me dizem que ela ama (eu li diversos livros de psicologia e sobre relacionamento e eles apontam as atitudes dela como amor). A última coisa que aconteceu foi uma que me magoou de um jeito estranho.
A poucos dias eu tive um desmaio (tenho algumas problemas de saúde) e cai da laje da minha casa. Quebrei um braço e tals. Quando postei nos stories de whats que tava quebrado ela perguntou se eu tinha sido atropelado e eu falei que não, que cai da laje. Ela fez uma brincadeira dizendo basicamente "podia ter morrido né" só que desejando minha morte. Eu sei que foi uma brincadeira mas me doeu muito. Pq ela sabe que já tentei me matar 15 vezes, inclusive uma esse ano. Eu esqueci de contar lá em cima mas minha melancolia foi embora. Eu tô meio que curado disso e tô sentindo prazer em viver de novo. Ela fez essa brincadeira e me doeu demais, demais mesmo. Eu falei pra ela algumas merdas e ela me chamou de dramático (ela diz isso sempre que eu reclamo de algo, talvez eu seja mesmo) e isso doeu ainda mais. Eu sinto que toda vez que reclamo com ela sobre como as atitudes dela me machucam ela me chama de dramático e menospreza minha dor.
Esse ano ela veio me falar que tava com princípio de depressão e eu conversava com ela sempre que ela precisava, eu só precisei conversar uma vez e ela disse que não queria conversar. Bom, eu me senti mal com isso. Foi ali que vi que nossos padrões de amizade são diferentes.
Enfim, essa última brincadeira que me matou. Vocês vão perguntar pq a gente não se bloqueia e se esquece. A resposta é: eu não sei. Eu sei que amo muito ela e acredito que ela me ama. Depois da briga ela me bloqueou e horas depois me desbloqueou (mas excluiu meu número segundo ela). Eu queria alguns conselhos, opiniões e que analisem a minha história e me digam o que pensam sobre tudo. Sobre tudo mesmo!por favor, ajudem esse idiota que fez tudo errado na vida
submitted by lysguil to brasilivre [link] [comments]


2020.06.03 22:40 Reciju Sobre aquele que pedi a ajuda de vocês

Sobre aquele que pedi a ajuda de vocês
Sei que diversos de vocês viram meu último post pedindo ajuda para Anko, como vários de vocês se interessaram e desejaram sorte me senti na obrigação de informar o desfecho de tudo, então segue a história com uma cartinha que fizemos para ela ontem :/ Espero que gostem, muito obrigado por tudo turma, vocês nos ajudaram demais <3
Data: 02/06/2020
Para nossa princesinha Anko:

Moça, hoje você partiu e como se não bastasse, levou embora parte dos nossos corações.

Tudo começou tão de repente, até agora é difícil acreditar. Você, a nossa gatinha, aquela cheia de vida e toda louquinha, um dia parou de correr, parou de brincar...

Não esperamos, sabíamos que não estava bem, então corremos marcar uma consulta com a veterinária, que de início suspeitou ser uma inflamaçãozinha no útero, porém sem exames, não dava pra ter certeza.

Não hesitamos, fizemos todos os exames indicados e infelizmente, o resultado foi inesperado. O que de início parecia ser apenas uma condição “simples” na verdade, tratava-se de um caso complexo e incomum para uma gatinha de apenas 1 ano e 9 meses, filha, você tinha 2 pedrinhas que estavam obstruindo a passagem da sua urina do rim para a bexiga. Urina acumulada no rim é perigoso, estava afetando seu órgão, correndo risco de parar de funcionar... Então, começamos a lutar por você.

Corremos atrás de tantos veterinários, todos eles ficavam surpresos; Primeiro, pelo fato de que gatinhas da sua idade não costumavam desenvolver pedrinhas; Segundo, pelo fato de que, no seu caso não era apenas em um, mas sim, nos seus dois ureteres. O famoso um em um milhão.

Nós ficamos tão desesperados, todos os veterinários diziam que o prognóstico não era bom, e que não faziam esse tipo de cirurgia... Até que então, finalmente encontramos um cirurgião com experiência nesse tipo de caso. Conversamos com ele, e não havia mais tempo, seu rim começaria a deteriorar cada vez mais sem a cirurgia, então, mesmos cientes dos riscos e sabendo que era arriscado, difícil e, por conta disso, caro todo o procedimento, autorizamos. Nós sabíamos que você era forte. Logo voltaria ao normal e estaria conosco na nossa casa!

Para conseguir o dinheiro da cirurgia fizemos uma vaquinha on-line, você nem imagina filha, muitos abraçaram a causa e de imediato nos ajudaram e doaram! Recebíamos tantas mensagens de carinho e apoio à você.... Mas, apesar disso, não tínhamos tempo, então, antes mesmo de conseguirmos arrecadar o valor necessário, tivemos fé e decidimos realizar a cirurgia. Durante todo o período Deus fez nossa fé valer e muita gente continuou nos ajudando!

O dia da sua cirurgia foi extremamente tenso, não conseguíamos pensar em mais nada, só em você, tudo que fazíamos voltava para você, nós choramos tanto e enchemos tanto, mais tanto, o saco dos veterinários, até que finalmente recebemos a tão incrível e esperada notícia: Nossa menina havia passado pela cirurgia, as duas pedras foram removidas e ela parecia estar ótima! Acordou comendo e tudo mais. Nossa, ficamos tão felizes! foi a primeira noite que conseguimos dormir desde que tudo começou.

O Pós-operatório só nos deixou mais animados, no primeiro dia você já demonstrava uma avanço incrível, estava comendo, tomando água, URINANDO! No seu segundo dia puderam remover suas sondas, e novamente, uma notícia incrível de que continuava urinando normalmente e todos os exames estavam ótimos! E ainda nos informaram que no dia seguinte já poderíamos te levar de volta pra casa, filha!!!

Nós ficamos tão felizes, estavamos com tanta saudade e finalmente teríamos você de volta! Naquele dia acordamos cedo e arrumamos a casa toda para te receber. Pra evitar qualquer risco de você fazer uma loucura e abrir os pontos, tiramos todos os móveis da sala que você pudesse subir, colocamos o colchão no chão pra continuar dormindo na nossa cama, colocamos as mantinhas que você mais gostava, compramos todos os medicamentos e equipamentos indicados que precisaria.... Estava tudo tão perfeito pra você, princesa. A nossa sala virou um quartinho todo adaptado à você.

Quando chegou em casa, meu Deus, foi uma festa! Assim que pisou no chão, correu para o nosso colchão, e se jogou de barriga pra cima para que nós pudessemos acariciar sua barriguinha, do jeitinho que você sempre amou... Aquele sábado passou voando, a tarde toda cuidamos de você, dando comida, água, levando pra usar a areia... mas você parecia querer só uma coisa, ficar deitadinha com a gente. Achamos que pudesse ser pelo fato de ter recém saído de todo aquele estresse. Então, cochilamos nós três, com você no nosso meio o tempo todo, o mais próximo possível. Você estava com saudade, né? Nós também!

Mas, infelizmente, a noite chegou. Apesar de estar tomando água normalmente, não foi urinar, nenhuma gota... e ainda se recusava a comer. Ligamos desesperados para a veterinária e fomos orientados para o que deveríamos fazer. Aquela noite foi longa, ficamos acordados o tempo todo, te levávamos para a areia, para a comida, e infelizmente, nada! Sofremos tanto, ficamos tão desesperados... logo na manhã seguinte ligamos novamente para a veterinária, que foi te visitar em casa. Ficamos horas te analisando após as aplicações das medicações.... E aí, nada! nenhuma alteração... Tudo parecia desabar novamente, você, nossa filha, ainda estava doente.

Fomos indicados a te levar novamente para a clínica, você não gostou nada da ideia de deixar nossa casa, não queria entrar na caixinha de transporte, lá na clínica começou a miar alto, como quem não queria passar por aquilo novamente, mas não tínhamos escolha, era sua saúde que estava em risco, princesa! Chegando lá, nos informaram que fariam um Raio X imediatamente e que você ficaria mais um dia internada.

Saímos da clínica, e ao chegar em casa sentimos tanto, MAS TANTO! a sua falta que, sem nem pensar duas vezes, decidimos voltar na clínica pra te ver, fomos no mesmo segundo. Chegando lá nos falaram que você estava extremamente brava e não deixava nem que tocassem em você. Engraçado que bastou só entrarmos na sala de internação e chamarmos seu nome pra você mudar completamente.

Só de lembrar de você correndo para baixo dos nossos braços deitando a cabeça pra descansar, nos da muita vontade de chorar... sabíamos que você queria ficar com a gente, a gente também não queria desgrudar de você, mas o horário de visitas estava encerrando, e tivemos que ir embora com muita dor no coração.

Apesar de tudo, acreditávamos que logo daria tudo certo e você retornaria... Alguns minutos após saírmos, a veterinária nos informou que o exame seria analisado e laudado logo pela manhã, e que se tudo estivesse em ordem, poderia voltar já no dia seguinte pra casa. Nesse dia dormimos tão esperançosos...

Logo quando amanheceu, recebemos uma ligação da clínica. Eles disseram que você estava bem, estável, e que o Veterinário responsável pela cirurgia inicial queria falar conosco. Fomos prontos para te trazer de volta, tínhamos certeza que você receberia alta! Mas, ao chegarmos lá, percebemos a cara do cirurgião e nossos corações dispararam. O Dr. nos explicou o resultado do seu novo exame, tinha um acúmulo grande de líquido em seu abdome e seu estado clínico havia regredido muito rapidamente... Nos falaram sobre um a necessidade de fazer um novo procedimento, que permitiria que eles analisassem melhor as complicações e suas causas, para saber os próximos passos. Mas, não foi uma escolha nada fácil aprovar esse procedimento... Como teria que passar novamente por um procedimento cirúrgico, nós que tivemos que decidir entre fazer ou não fazer. Se não aprovássemos, suas chances de vida seriam muito baixas caso fosse uma complicação decorrente da primeira cirurgia. Porém, se aceitássemos o procedimento, você passaria novamente por uma anestesia, e como estava fraquinha seu corpo poderia não responder bem... Era arriscado! Mas, todos lá orientaram que o mais indicado seria optar por fazer. Resolvemos passar te ver antes de decidirmos, lá na salinha de internação você estava tão diferente, não conseguia nem levantar, só respondia com miados quando falávamos com você... fomos obrigados a aceitar o procedimento, não podíamos deixar nada de mal acontecer com você naquele ponto! Aguardamos a tarde inteira, o procedimento atrasou, foi outro dia longo e tenso! até que recebemos uma ligação dizendo que tudo tinha dado certo, e que você acordaria dentro de algumas horas da anestesia. Nós te visitamos enquanto dormia, conversamos baixinho com você, fizemos carinho, e uma hora ouvimos seus miados bem baixinhos e sem força de volta... até vimos você tentando mexer uma patinha pra tentar nos receber... Fomos para casa com esperança, torcendo pra que saísse logo de lá. Até que... 2h da manhã, do dia 02/06, recebemos a pior notícia de nossas vidas.

Uma parada cardíaca... não conseguiram salvar sua vida. Desmoronamos. Ficamos (e ainda estamos) sem chão. Só podia ser mentira... Saímos correndo para te ver. Quando chegamos não acreditávamos no que víamos, nossa filha, infelizmente havia mesmo nos deixado.

A ficha até agora não caiu, colocar sua mantinha e seus brinquedinhos favoritos ao lado do seu corpinho sem vida foi a maior dor que já sentimos. Nunca nos esqueceremos da nossa despedida. Anko, moça... nossa menina, nossa princesa!

Hoje o céu recebe a mais incrível estrelinha do mundo. Por favor, nunca se esqueça de nós. Nunca se esqueça que te amamos muito! Seu pai, sua mãe e sua irmãzinha sentem muito sua falta e te amarão por TODA a eternidade! Pra sempre lembraremos de você com um sorriso no rosto e um grande aperto no coração. Você nos escolheu, foi amor a primeira vista, correu direto para sua mãe e logo se acomodou. Mal sabíamos que nossa vida mudaria a partir daquele momento... alí ganhamos uma companheira para todas as horas, você cuidava tanto de nós... até mais que nós de você. Jamais saberíamos que uma gatinha pudesse ensinar tanto sobre o amor, com toda sua inocência e sinceridade!

Nossa louquinha e medrosa, sempre que olharmos para as paredes lembraremos com carinho do seu parkour, se todas as brincadeiras... do pega-pega...

Saiba que te ver doentinha, sem brincar foi a pior coisa que poderíamos ver no mundo?

Hoje só queremos agradecer por tudo que vivemos, por todos as lambidas, por todas as vezes que você estava do nosso lado, por todas as noites de sono deitada coladinha, por todas as vezes que você nos recebia na porta de casa, por todas as inspeções durante a madrugada pra ver se seus humanos estavam bem, por todas as esfregadas em busca de mais carinho... todas as brincadeiras, todas as conversas, tudo! Foi mais que especial. Chegar em casa jamais será a mesma coisa, não importe quanto tempo passe, nosso amor sempre será seu.

Obrigado Anko, amamos você. <3
https://preview.redd.it/epyywn13br251.jpg?width=960&format=pjpg&auto=webp&s=6ae103e9469725aa8c67d14fb7da79c9030de63d
submitted by Reciju to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.28 08:27 julinhapikada17 Quase corna

Olá luba, editores, gatas, turma e todos os seres do mundo, vim contar a minha bela história de novela mexicana.
(Não sei se o meu português está correto, to cm muita preguiça de escrever meu Deus)
Tudo começou esse ano, aqui na minha cidade cada ano escolar tem um período diferente e o sonho de [email protected] é virar do primeirão e estudar a noite até ai tudo bem, não tem tanta importância.
As coisas começam mesmo quando eu começei a estudar de noite quando a minha amiga (vamos chama-la de trix) me apresentou uma pessoinha que peguei um amor pela primeira vista e depois de um mês, eu e a pessoinha nos conhecemos um pouco melhor e ficamos mais próximos e tals.
E uma coisa importante é que nesse mês era a minha grande festa de 15 anos e pensei, porquê não chamar ele? Dei o convite pra ele e falei que ficaria mt feliz se ele fosse, e não é que ele foi mesmo?
O dia da festa chegou e foi literalmente a melhor da minha vida, pelo fato de eu estar com pessoas que eu amo, ter uma festa linda daquela com amigos e parentes que eu amo tanto, festejando mais um ano da minha preciosa vida kk.
Na segunda-feira um dia depois da festa( teve o 2 dia no caso domingo) trix me mandou um print da pessoinha dizendo "eu acho que estou gostando da julinha, vulgo eu, e eu SURTEI, sai gritando pela casa falando que ele me amava e que nós iríamos formar um lindo casal, que ele era lindo e um menino com maturidade o suficiente para ser meu primeiro namorado. Resumindo, eu tava MUUUITO feliz.
mal sábia eu que ele era um verdadeiro filha da puta.
Vamos pular algumas partes, luba não vai querer ler uma bíblia
Trix nos deu um empurrãozinho e tcharam! Estava-mos namorando, eu não pude ficar mais feliz como eu estava.
Mas ai o mês de abril chegou e meus amigos... não foi nada legal.
Primeiro começou com briguinhas da parte dele por ciume de uma pessoa que eu gostava em 2017 beeem antes de eu conhecer ele, depois foram brigas dizendo que eu estava iguinorante e tratando ele como se fosse os meus amigos sendo que ele queria que eu prestasse mais atenção nele do que os outros.
E AI ENTRA A RASPA CANELA, vamos chama-la de gabi. Gabi era uma grande amiga minha des dos meus 10 anos de idade, inseparaveis mesmo com uma diferença de idade pequena e sendo mais nova que eu. Gabi era proxima da pessoinha, até demais, eu sentia um pouco de ciúme mais não queria pagar de surtada e confiava na gabi o bastante pra pensar que ela não fazeria uma barbaridade dessas.
No final de abril as brigas ficaram mais pesadas entre eu e ele, ficamos mais de 1 semana sem se falar pelos mesmos motivos, falei com ele que era o meu 1 relacionamento e que ele tinha que entender a minha parte também, pra mim eu sempre o tratei com amor e carinho e algumas horas eu estrapolava mas não era por querer. Depois nos resolvemos de novo e ficamos bem, e depois BRIGAMOS DENOVO por causa dos mesmos motivos sendo que eu apenas estava sendo eu.
(Sou uma pessoa bem carinhosa e eufórica, eu amava falar com ele eu mandava fotinhas, falava sobre games porquê eu sabia que ele gostava, falava sobre planos futuros, sobre ter um momento só nosso depois que o corongah passase, sempre tentei dar o meu melhor e ate hj não entendo)
e vem a parte foda, Gabi chamou eu e a trix para ir na casa da pessoinha dando a desculpa de "ele me falou que tava muuuito triste e resolvi juntar nós 3 para ir lá" e não vi problema pois eu confiava de olhos fechados. Mas no dia a minha amada mãe não deixou e então só foram a trix e a gabi.
Eu fiquei muito triste em casa, porquê eu queria ver a pessoinha, fiquei deitada o dia todo assistindo videos pra tentar esquecer um pouco, fiquei mechendo em algumas redes sociais e depois eu entrei no zap como quem não quer nada e fui ver o status do povo. Até que a pessoinha postou mais de uma foto com a Gabi, andando de skate, abraçados e gravando gifs, pra mim foi a gota d'água, eles estavam próximos até demais des das brigas que agt tinha. Chamei ele e pedi pra terminar, ele aceitou super de boa e tivemos um termino saudável. Terminei por conta da minha intuição que graças a Deus não falhou e ficou martelando na minha cabeça até eu pedir esse termino porquê eu SABIA que tinha alguma coisa errada ali
No outro dia Gabi veio me chamar aqui no portão, não respondi nenhuma das mensagens dela pq tava chateada, ela sabia da minha situação com ele e não teve um pingo de respeito com a minha pessoa ela poderia ter pensado duas vezes antes de ir na casa do "melhor amigo" sem a NAMORADA dele. ela chamou e chamou, viu que eu não ia atender e foi em bora, achei que teria um momento de paz mas estava enganada, Gabi subiu com a irmã dela e me chamou no portão, eu com a minha inocência achando que era só a irmã dela me chamando pra me pedir alguma coisa atendi e estava a irmã da gabi e a gabi na frente de casa, e ai a irmã dela me disse as seguintes palavras:
" olha julinha, eu ja acabei muitas amizades por causa de macho, a gabi nunca teve intenção com ele, ela sabe que você gosta dele, a única pessoa que deve ter intenção é aquela sua amiga trix, então fica de olho nela e não na gabi, por quê com certeza a trix vai trair a sua amizade com ele" e bom, hoje a irmã dela que me disse isso arrastou a cara no asfalto. Não foi a trix que ficou com o meu ex e sim a Gabi.
Eu no momento não revidei, eu estava triste, com o coração partido, não consegui pensar então só escutei. A irmã da gabi continuou falando mais algumas merdas e desceu pra casa dela e eu fiquei la fora conversando um pouco com a gabi só pra dizer que eu "não estava com raiva" depois dei a desculpa que ia tomar banho e entrei para casa.
No outro dia, a gabi me manda esse texto:
"Boa noite,mano quero falar uma coisa talvez isso destrua nossa amizade mais foi inevitável. Então é o seguinte eu e a pessoinha estamos gostando um do outro e sério eu juro que eu achava que era paranoia mais não é julinha eu realmente gosto da pessoinha? Não sei como isso aconteceu assim rápido e eu sei que vc tá triste com o término de vcs é seria uma filha da putagem eu pegar ele depois de vc pq eu sei que ninguém apoiaria,eu seria chamada de talarica e tudo mais,mas na verdade eu não escolho quem eu amo,nunca escolhi e sério eu espero mesmo que vc entenda,meu maior medo é perder sua amizade pq eu te amo infinitamente vc sempre será minha melhor amiga e me desculpa por isso tá? Sério eu evitei mais acabei descobrindo que ele também está sentindo um sentimento por mim,olha não fica brava ou se ficar desculpa sério eu espero que vc entenda boa noite."
E eu puta da cara revidei com esse:
"Olha eu realmente não queria terminar assim mais vc deu um PUTA vacilo comigo pq isso n é coisa q amiga se faz sabe? Nossa amizade já durou anos e eu nunca fazeria isso com alguem q vc gostasse como exemplo o Carls, e sobre isso de "o coração n escolhe qm ama" vc poderia ao menos ter se afastado dele pra tentar afastar esse sentimento ao invés de se aproximar, mas vc resolveu ser mais intima e deu nisso Por favor, eu não quero q nem vc e nem a sua irmã venha no meu portão flando q a nossa amizade n pode ser destruida por causa de macho pq eu sei bem q se fosse cm ela ela faria a msm coisa. Por favor não fala mais comigo."
Depois a gabi tentou voltar falar comigo, mandando meu numero para uma amiga dela falando que ia se [email protected], que estava tendo crises de ansiedade frequentes e tendo pesadelos comigo, mas pra outros ela estava falando que tava feliz, que conseguiu pegar o menino que ela tanto queria. Ai ai essa gabi viu.
A pessoinha não sai como gente boa também, ele e a gabi tiveram umas dr por ela querer terminar com ele por minha causa e a pessoinha começou a desabafar com a trix e praticamente jogando a culpa em mim, dizendo o porquê de eu existir e o porquê de eu ter entrado na vida dele. Sem contar que ele vive falando que "todos so entendem o lado dela, e nunca o meu", namoral isso é coisa que se faça???
Hoje eu estou escrevendo aqui com o meu coração partido vendo que a pessoinha que eu ainda amo com a minha ex melhor amiga e a menina que se denominava minha melhor amiga com o meu ex.
desejo o melhor pra eles e que os dois vão tomar no meio do cu.
bom... essa é a parte 1, a proxima talvez pode ter prints? E mais detalhes?
luba espero que tenha gostado da minha desgraça pq agr eu sou chamada de corna na família :(
Caso tenha duvidas, faça perguntas eu irei responder numa (talvez) parte dois.
Beijos te amo <3
submitted by julinhapikada17 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.06 10:51 capivara_raivosa Corno todo mundo é, e quem não for ainda vai ser

Namoro há 5 anos a mulher da minha vida - vou chamá-la de V. Em tempos de quarentena, como ela está trabalhando em escala e eu moro com o meu pai, que faz parte do grupo de risco, estamos nos encontrando em escala também - de acordo com a última exposição.
Segunda-feira, V apareceu aqui em casa do nada, antes do combinado. Soube de cara que tinha algo errado. Depois de tomar banho, ela sentou, já chorando, e proferiu as palavras que eu mais temia: "eu te traí." Fiquei completamente sem chão, inundado por uma combinação de tristeza, incredulidade, raiva e, principalmente, decepção.
E não foi "apenas" uma vez. Fui traído com 2 caras do trabalho dela - vou chamá-los de B1 e B2. O gatilho pra confissão foi a esposa do B2 ter descoberto. V ficou com medo da mulher entrar em contato comigo.
Os relatos a seguir são a partir do que ela me contou. Com o B1, aconteceu no começo do ano passado ainda, enquanto eu estava fora a trabalho. Tudo se desenvolveu lentamente, com apenas carinhos. Estava confusa e culpada, mas acabaram ficando algumas vezes. Não rolou nada além de beijo, porque ambos estavam traindo e se sentindo terríveis por isso. B1 saiu da empresa e o caso morreu nisso aí.
Na época, ela tentou me contar assim que eu voltei de viagem, mas não teve coragem. Enquanto chorava copiosamente e repetia que não me merecia, acabou falando que encontrou um ex namorado enquanto eu estava fora, porque estava em dúvidas quanto ao nosso relacionamento e precisava conversar com alguém. Eu fiquei chateado e estranhei bastante essa reação toda por apenas ter saído para conversar, mas confiei e ficou tudo bem aparentemente.
Com o B2, foi bastante recente. Não passou dessa fase de carinhos e ela já tentou cortar, porém o cara está apaixonado - palavras do próprio - e fazendo de tudo pra continuar. Enfim, não rolou sexo com nenhum dos 2. Quero acreditar nisso, mas não sei se consigo - sinceramente, não sei se faria diferença também. Sei que pode parecer besteira isso de "carinho", mas envolve atos como abraços com mão boba e, pelo que entendi, rolou soft sexting também.
O pior de tudo é que eu não consigo compreender o motivo da traição. Para a V, foi tudo puramente questão de ego, só que ela também aparenta estar confusa. Nosso relacionamento sempre foi repleto de amor, de parceria e de construção. Antes dessa maldita confissão, pela primeira vez na vida, eu tinha certeza do meu caminho. Agora, parece que nada mais faz sentido. To ficando maluco tentando encontrar um motivo pra me culpar.
A V quer continuar o namoro e diz estar disposta a fazer de tudo para dar certo - inclusive vai conversar com uma psicóloga hoje e começar terapia. Não sei o que fazer. Eu quero perdoá-la, mas, ao mesmo tempo, tenho dúvidas se manter o relacionamento vai me fazer bem. Por diversos fatores externos, eu sempre fui muito inseguro. Imagina a loucura que vai ser até conseguir confiar nela novamente - se é que isso algum dia vai acontecer...
A princípio, minha posição é de que eu não tenho como dar uma resposta definitiva no momento, mas que a gente pode tentar. Quando consigo brevemente fugir do turbilhão de emoções que está na minha cabeça e tudo parece normal como antes, eu me sinto culpado, trouxa, achando que to passando pano pra situação e que vai acontecer de novo se tudo se resolver fácil demais.
Foda que até escrevendo este texto eu percebo que estou a preservando quando é um momento pra pensar mais em mim. Não quero terminar. Gostaria de pedir a ajuda de amigos, mas sei que a visão que eles possuem dela nunca mais seria a mesma, então estou escrevendo textão prolixo com throwaway para desabafar. Qualquer experiência que vocês possam compartilhar vai ser de grande ajuda.
TL;DR: Fui traído, quero perdoá-la, mas não sei é a melhor opção para mim.
---
Edit: Agradeço por todos os conselhos e mensagens de força, de coração. Estou tentando responder todo mundo que comentou. Como alguns deram conselhos similares, repeti trechos de algumas respostas.
submitted by capivara_raivosa to desabafos [link] [comments]


2020.04.10 00:44 CabacinhoBreaker Conto: Carta Para Zeca

Quanto tempo leva para uma reflexão tomar forma dentro do circuito do pensamento emotivo? Emoção é a reação do que afeta direta ou indiretamente o nosso campo de sensores que são vastos, digo isso para todos aqueles que creem no invisível e que salta aos olhos como uma silhueta na escuridão. Está tão perto e tão latente mas, qual a medida para entender tudo isso? A razão é a balança dos aflitos que velejam numa nau à pique.
Zeca observava o mundo de longe certo de que estava antes daquela vírgula da existência, essa que faz refletir, protegido no receptáculo de sua antena parabólica ficava estático ele mesmo, assistia a novela de Rebeca sua vizinha, nascida de dias e com uma mãe desastrada. Batia de lá e de cá seu corpo mas nunca deixando a recém nascida amassar nas portas, embora parecesse que o pai quisesse. Zeca já tinha testemunhado o pai, grande e corpulento, de olhos fundos e nariz perfurante, olhando para a mãe, passava para Rebeca, e parecendo um surto de arrependimento da existência da menina, fechava a porta na cara da mãe. Ela não prestava, e parecia um vegetal, ele era quem dava energia para uma casa toda com seus dedos que pegavam o que queria na sua geladeira fedida; seus pés descalços que descarregavam toda uma tensão da casa, o que Zeca achava engraçado, se pudesse passar a navalha nesse calcanhar invisível da mágoa ele desjuntaria o pé inteiro.
De conversa com ela uma vez Zeca insistiu no motivo de ela estar onde estava, a mãe olhava a menina com uns olhinhos de jabuticaba que dava brilho no canto, daí olhava para o chão e virava o olho para dentro buscando uma saída do que ele não podia evitar, daí lançava a mão parecendo que ia descolar do corpo, mole de lado, dizendo que quem sustentava a casa era ele e Rebeca era uma inspiração de vida! Desse jeito mesmo que saía, ela botava tanta convicção que as palavras vibravam quando saiam de sua boca, a última até parecia uma moeda que estava debaixo da língua e escapou sem querer. Olhei nos olhos dela, rasos.
Agora Zeca insiste em tomar uma dose de verdade todo dia, recolher todas essas moedas que caem dos olhos e das bocas de seus amigos, juntando tudo um dia talvez ele compre a tão sonhada liberdade que ele persegue de dentro de seu barquinho.
“Mandai a faísca de um raio pra me iluminar
Segura pedra na pedreira não deixa rolar
Xangô, Kaô meu pai
Seus filhos bambeiam mas não caem”
Zeca
Carta Para Zeca
Olá meu querido amigo, como você está? Espero que bem.
Eu estava mexendo nuns papéis antigos e reli uma crônica que você me fez 3 anos atrás, lembrei tanto de você esses tempos que resolvi escrever.
Hoje é dia 24 de dezembro e está um calor danado aqui em São Bernardo, me mudei para o Silvina depois de uns dois meses que a Rebeca nasceu e foi uma das melhores coisas que fiz; a casa é bem maior, porém fica bem perto do ponto de ônibus lá na ponta do morro.
Por falar em Rebeca ela não para mais. Anda de um lado pro outro Zeca como se fosse a rainha da casa, pega as panelas e bate tudo no chão. Devaldo nem liga mais depois de comprar a quinta, e eu não faço questão também, ela precisa de brinquedos e eu me viro como posso sabe?
Falando nele, sua crônica foi importantíssima para mim Zeca, você sempre me estimulou a escrever e só fiz isso agora, depois de anos, porque me sinto muito mais segura e motivada. Ainda lembro de cada palavra sua. É claro que é meio desconcertante também, você escreve tão bem e eu não sabia nem articular o que se passava dentro de mim, agora vou te falar, da melhor forma que eu encontrar.
Devaldo parecia que tinha desistido de tudo, aquele jeito turrão e mandão dele de ser passou depois do primeiro ano da nossa filha, eu agradeci muito à Deus, mas ainda faltava alguma coisa sabe? Ele parecia fantasma dentro de casa Zeca, a gente não tinha brigado nem nada e ele me procurava bem pouco para fazer amor, dizia que a rotina do serviço estava acabando com ele mas eu não precisava me preocupar com nada, que focasse na pequena pra ela não ficar que nem as “meninas do pé do morro”. Elas gostam muito de transar Zeca, e com qualquer um que passe no pé do morro, qualquer um; eu já vi elas no mato e não vou nem dizer como porque quero esquecer.
Depois de ver aquilo dei razão pro meu marido, e mesmo ele me tratando um pouco melhor ainda não era o meu ideal, ele foi meu primeiro homem e eu esperava tanto dele, mas seus problemas sempre futucavam nosso lazer; fim de semana tinha um extra no serviço que era imperdível, mais seis horas longe de sua família, o que virou rotina depois de um tempo fazendo isso; pegou confiança e virou o ponta firme na firma que não faltava em nada.
Quanta decpção. Quando Rebeca fez um ano que desastrou tudo, ainda bem que tenho meus amigos lá do morro pra me dar assistência e fumar um né? Quem tem filho fuma também, não me julgue.
Eu acostumei não ter mais a presença dele em casa aos poucos, Rebeca sempre foi bem quieta e não me tomava muito tempo para o cuidado, mas isso porque amo essa menina e nunca me deixou nervosa. O fato é que comecei a me sentir bem sozinha, e carente sabe? Sem nenhum contato. Eu procurava Devaldo e ele nem aí pra mim, até que um dia aconteceu um troço inesperado Zeca, eu tinha mensagens de um crush do ônibus que queria porque queria me conhecer.
Não me julgue por falar o que vou falar. O nome dele era Jonas e disse que queria me conhecer, eu falei que pessoalmente não, mas a conversa foi rolando, eu disse da minha filha e ele me mostrou a dele, uma mulher já de dezesseis anos toda formada, o cara era “velho” e eu tinha vinte. Claro, não mencionei Devaldo pra ele.
Ele me dava toda a assistência que eu estava querendo, perguntava como foi meu dia, me ouvia, e a gente conversava sobre tudo Zeca, só achei uma coisa estranha. A primeira vez que ele me ligou achei super esquisito, sabe aqueles homens que tem a voz bem fina? Era a dele, mas chegava a parecer uma garota em certos momentos. Achei estranho mas foi só impressão.
Jonas não me faltava em nada, ele me fazia sentir como se fosse uma menininha de novo, ás vezes eu até esquecia que tinha um marido em casa Zeca, cheguei até a olhar pro Devaldo pensando nele, nas fotos que me mandava… sinto vergonha disso mas é a verdade. Mas também nunca fui tão fundo assim com ele, por mais que fosse gostoso eu não conhecia ele de fato e não ficava mandando fotos nem nada, mas me deixava num fogo que eu virava um rio.
Depois de uns quatro meses na conversa eu criei coragem e fui atrás dele, chamei para marcar um encontro e liguei né, ele esperava tanto por esse momento que o telefone quase não deu o primeiro toque. “Eu preciso te contar uma coisa antes da gente se ver”. O que era agora já que ele queria tanto? Esperei os trinta segundos mais longos da minha vida até que ele despejou tudo sem ensaio. Eu sou mulher.
Foram só três palavras, mas me deram uma rasteira literal, eu que estava em pé caí sentada no chão da cozinha Zeca, eu não podia acreditar. Fiz muitas perguntas e ela me respondeu todas com muita calma, apesar da minha revolta. Me disse que realmente pegava ônibus comigo e me achou linda, e depois de uma visita no face chamou um amigo dela, o Jonas. Ele fornecia tudo em tempo real, mas nos telefonemas e áudios era ela mesma.
Falei várias vezes pra ela que não gosto da mesma coisa que tenho no meio das pernas, não vejo graça Zeca. Ela ficou super triste, ainda mais quando teve que me passar o telefone do Jonas de verdade, queria pelo menos conhecer o cara que me apaixonei. Já faz um tempo que isso aconteceu e mesmo assim ainda lembro vez ou outra, me enganaram de uma esdruxula e me lembro exatamente como me senti.
Me lembrei de você e tudo que me dizia, tentei descrever o que sentia. Você já passou por isso; você passa uma noite inteira na rua, sozinho e com frio, e encontra um cantinho pra encostar e cochila por lá mesmo até o Sol começar despontar e tocar sua pele, te aquecendo aos poucos até brilhar bem forte e você voltar pra casa. Eu voltei para casa Zeca.
Deixei tudo isso de lado e pesquisei sobre aquilo que você me falava sempre, que a vida é efêmera e é importante viver bem; hoje entendo o que você me dizia. Fui nessa semana também no lugar que recebem os espíritos que você ia, me pediram para ter juízo olha só! Eu não discordei, até gostei da sensação que me trouxe.
Eu comecei a prestar mais atenção em casa depois do que aconteceu, e tive mais coragem para me abrir e falar com Devaldo, ás vezes eu só precisava estimular ele um pouco, e com o tempo ele foi me olhando de outra forma, viu que podia cofiar em mim como parceira; o stress do trabalho até diminuiu e o tempo dele lá também, começamos uma fase tão bonita Zeca. O espaço que ele preenchia com seus dedos agora tinha um toque mais sutil, e mesmo que o hábito ruim de olhar o telefone do outro tinha ido embora fazia um tempo me bateu uma curiosidade. Descobri que ele me traiu duas vezes com a mesma pessoa, ele transou com outra.
Não falamos disso nunca, ele não sabe que sei e eu não guardo rancor, ele se arrependeu nas mensagens com a garota e depois que as coisas melhoraram entre a gente me sinto muito mais feliz. Não vou dizer que o amo, mas me sinto apaixonada por ele cada dia mais, estamos nos descobrindo juntos Zeca. Não vou tomar mais o seu tempo, só queria dizer que o canto que você morava está muito bem iluminado agora.
Ontem o Pepeu me chamou pra fumar lá no escadão e disse que tinha uma surpresa, e que surpresa Zeca! Enquanto a gente fumava olhando pro Montanhão ele começou a iluminar todinho, foi ascendendo de baixo para cima, nunca vi ele tão bonito. O morro agora tem luz na rua.
Não me aguentei, olhei pra cima e comecei chorar quando vi que a Lua se encaixava bem na ponta do morro, parecia até que tinha sentado no campinho de terra; a árvore de natal mais bonita que montaram pra gente meu bem. Pepeu chorou comigo, dava pra ver os bracinhos balançando lá da ponta do morro de alegria.
Você faz falta Zeca, tiraram sua vida tão curta cara, mas como você mesmo diz, a vida é efêmera. Vou guardar sempre no meu coração a lembrança de cada momento e prometo abrir a mente de alguém com o que você me ensinou, e me ensina ainda. Vou queimar essa carta no pé do morro, quem sabe um dia quando você passar por lá veja todas essas palavras na poeira.
Te amo meu amigo.
submitted by CabacinhoBreaker to EscritoresBrasil [link] [comments]


2019.12.26 02:32 altovaliriano O contragolpe em Meereen

A paz em Meereen se foi com a fuga de Daenerys e a prisão de Hizdahr Zo Loraq.
Como já visto anteriormente, existem fortes argumentos para acreditarmos que Cabeça-Raspada tenha envenenado os gafanhotos de Daenerys a fim de quebrar a paz e que Barristan está sendo manipulado por ele. Selmy consegue que Skahaz prometa que nenhum mal será causado a Hizdhar ou às crianças reféns de Daenerys, que, no máximo serão trocadas pelos reféns de Daenerys entre os Yunkaítas (Herói, Jhogo e Daario).
Contudo, se por um lado a manutenção dessas promessas é fácil enquanto as forças de Daenerys permanecerem em Meereen, a questão ficará inteiramente ao arbítrio de Skahaz caso os aliados de Daenerys atravessem os portões de Meereen.
E é precisamente isto que está para acontecer em Os Ventos do Inverno.
A série da HBO incutiu em boa parte do fandom a noção de que a hora de Barristan Selmy chegará logo no começo do próximo livro. À falta de Skahaz na série, Selmy foi morto pelos Filhos da Harpia em uma emboscada sem sentido durante a 5ª temporada. Ainda assim, muitos leitores tem firme convicção de que isso anuncia que Barristan morrerá.
No capítulo final de A Dança dos Dragões, Skahaz já chama Barristan de Mão da Rainha e lhe atribui a responsabilidade do conselho de guerra formado ("seu conselho"). Tudo indica que Skahaz está se aproveitando do fato de que Barristan está fazendo o trabalho sujo sozinho, quase como se o cavaleiro fosse a mente e a espada por trás do golpe contra Hizdahr Zo Loraq.
Selmy, contudo, parece alheio a estes sinais, de modo que insiste em trasmitir a mensagem errada. Veja, por exemplo, que Selmy se traja ricamente para a Batalha e ainda usa a própria montaria de Daenerys:
O velho cavaleiro vestia a armadura que sua rainha havia lhe dado – um traje de aço esmaltado, incrustado e ornado com ouro. A capa que pendia de seus ombros era branca como a neve do inverno, assim como o escudo pendurado em sua sela. Sob si estava a montaria da própria rainha, a égua prateada que Khal Drogo havia dado a ela no dia de seu casamento. Era presunçoso, sabia ele, mas se Daenerys em pessoa não podia estar com eles em sua hora de perigo, Sor Barristan esperava que a visão de sua prata no combate pudesse dar ânimo aos guerreiros, lembrando-os de por quem e pelo quê eles lutavam. Além disso, a prata havia estado por anos na companhia dos dragões da rainha, e se acostumara à vista e ao odor deles. Isso não era algo que pudesse ser dito dos cavalos dos inimigos.
(TWOW, Barristan I)
Apesar de que ele pretenda enviar uma mensagem bem-intencionada para seus homens, o comportamento de Barristan pode ser capitalizado por seus opositores para envenenar até mesmo aqueles que apoiam o regime de Daenerys.
Por outro lado, os dragões ficaram no centro do debate diplomático com Yunkai e com os filhos da Harpia. A prisão de Hizdahr se deu na mesma noite em que Quentyn Martell acidentalmente libertou os dragões sobre Meereen. Portanto, é natural que a população veja um plano westerosi sendo posto em prática contra a Cidade durante o vácuo de poder deixado por Daenerys.
Assim, a morte dos dragões se tornou imprescindível para o retorno à paz, acima de qualquer coisa. Podemos ver isso na forma como as únicas mensagens que não foram "apagadas pela chuva" são aquelas que condenam os dragões e exaltam Harghaz (que morreu tentando matar Drogon):
A Harpia quer Hizdahr livre, então ele envia seus filhos de volta às ruas com facas nas mãos. Os mortos são todos libertos e cabeças-raspadas, como antes. Um deles era meu, uma Besta de Bronze. O sinal da Harpia foi deixado ao lado do corpo deles, riscado no chão ou rabiscado em uma parede. Há mensagens também. Os dragões devem morrer, escreveram, e Harghaz, o Herói. Morte a Daenerys foi visto também, antes que a chuva apagasse as palavras.
(ADWD, A Mão da Rainha)
Mas também podemos perceber em como os Yunkaítas não aceitam qualquer proposta que permita que os dragões vivam:
– Recusaram. Nem todo o ouro comprará seu pessoal de volta, me disseram. Apenas o sangue dos dragões pode libertá-los.
Era a resposta que Sor Barristan esperava, não a que desejava. Sua boca se apertou.
(ADWD, A Mão da Rainha)
Mas há algo muito curioso no modo em como tanto os Meereeneses quanto os Yunkaítas requerem a morte dos dragões. Eles a pedem, como se eles não fossem capazes de fazer isso eles mesmos - mas outra pessoa fosse.
É diante desta constatação que um pequeno rumor que Cabeça-raspada conta assume novo significado:
Há duzentos bem-nascidos reunidos na praça, parados na chuva com seus tokars e uivando por audiência. Querem Hizdahr livre e eu morto, e querem que você mate esses dragões. Alguém contou para eles que cavaleiros são bons nisso.
(ADWD, A Mão da Rainha)
Este tipo de informação poderia ser facilmente espalhado por Skahaz e suas Bestas de Bronze enquanto eles vagavam mascarados ao redor da Cidade.
Porém, como uma informação similar poderia ter circulado entre os Yunkaítas? Ou como Skahaz poderia ter certeza de que Meereen e Yunkai compreenderiam em uníssono que Barristan seria capaz de se livrar dos dragões que ele mesmo havia libertado? Ora, tendo homens também no acampamento inimigo:
– Eu disse para você, as Bestas de Bronze são minhas.
– Você disse que tem homens entre os yunkaítas?
– Delatores e espiões. Reznak tem mais.
Reznak não é de confiança. Ele cheira muito doce e parece muito desleal.
(ADWD, O Cavaleiro Descartado)
Veja que Cabeça-Raspada parece saber que Selmy desconfia de Reznak e imediatamente acusa Reznak de ter mais tentáculos no acampamento yunkaíta. Numa tática digna de Petyr Baelish, Skahaz não precisa entrar em contradição para manipular Selmy, somente precisou plantar a idéia de que Reznak é mais influente perante o inimigo do que ele.
Portanto, há indícios de que Cabeça-Raspada esteja colocando Meereen e Yunkai contra Barristan. Diante da inabilidade política do guarda real, estas circunstâncias permitiriam que Skahaz forçasse Barristan a enfrentar os Yunkaítas em batalha, deixando a cidade à mercê de seus próprios planos (a saber: matar Hizdahr e os reféns de Daenerys e tomar o trono de Meereen para ele).
Um indício de que Skahaz já pôs estes planos em execução podem ser vistos em A Dança dos Dragões, quando Cabeça-Raspada participa ativamente do conselho de guerra antes de Barristan garantir que quebraria a paz, mas não fala nada durante o planejamento do ataque (ADWD, A Mão da Rainha).
Em assim não comprometendo seus homens com a batalha, sobrou para as Bestas de Bronze um trabalho muito conveniente para os planos de Cabeça-Raspada:
Acima, as ameias da portaria estavam abarrotadas com homens em capas remendadas e máscaras de bronze: o Cabeça Raspada enviara suas Bestas de Bronze às muralhas da cidade, para liberar os Imaculados para o campo. Se a batalha estiver perdida, caberá a Skahaz e seus homens defender Meereen contra os yunkaítas... até o momento em que a Rainha Daenerys possa retornar.
(TWOW, Barristan I)
Inadvertidamente, portanto, Barristan se pôs entre o inimigo e um traidor (Skahaz), tornando qualquer retirada para dentro de Meereen uma tática impossível.
Esta constatação é especialmente trágica quando vemos que recuar faz parte dos planos de Selmy e que as Bestas de Bronze tem o controle de balestras que podem acabar com as forças de Barristan:
– Procurem ouvir meu berrante, – Sor Barristan disse a eles. – Se ouvirem a retirada, recuem​. Nossas muralhas estão atrás de nós, abarrotadas de Bestas de Bronze. Nossos inimigos não ousarão chegar muito perto, senão estarão ao alcance das balestras. Se ouvirem o berrante soar o avanço, avancem de imediato. Dirijam-se a meu estandarte ou ao da rainha.
(TWOW, Barristan I)
Entretanto, as Bestas de Bronze não são a única força à disposição de Skahaz para atacar Barristan.
Os lutadores de arena reiteradamente demonstram sua lealdade a Hizdahr zo Loraq e Barristan, poucos dias antes do conselho de guerra, havia matado o gladiador Khrazz quando executva o golpe para depor Hizdahr:
Khrazz golpeou seu braço e o acertou, mas o arakh conseguiu apenas lascar o esmalte duro antes de encontrar o açoembaixo.
– Na arena, isso teria arrancado seu braço, velho.
– Não estamos na arena.
Tire essa armadura!
– Não é tarde demais para baixar seu aço. Renda-se.
– Morra – cuspiu Khrazz... mas quando ergueu o arakh, a ponta da lâmina ficou presa em uma das tapeçarias da parede. Aquela era a oportunidade que Sor Barristan precisava. Cortou a barriga do lutador de arena, defendeu-se do arakh que se libertou, então acabou com Khrazz com um rápido golpe no coração enquanto as entranhas do lutador começaram a escorregar para fora como um ninho de enguias gordurosas
(ADWD, O Derrubador de Reis)
Apesar deste acontecimento, Selmy parece não temer represálias pelos lutadores. Até mesmo chama alguns deles para seu conselho de guerra, sob protestos de Cabeça-Raspada:
E, do outro lado da mesa de onde se sentava Sor Barristan, estavam quatro guardas do outrora Rei Hizdahr, os lutadores de arena Goghor, o Gigante, Belaquo Quebra-Osso, Camarron do Conde e o Gato Malhado. Selmy insistira na presença deles, apesar das objeções de Skahaz Cabeça-Raspada. Eles haviam ajudado Daenerys Targaryen a tomar a cidade uma vez, e aquilo não podia ser esquecido. Podiam ser brutamontes encharcados de sangue e matadores, mas à sua maneira haviam sido leais... ao Rei Hizdahr, sim, mas à rainha também.
(ADWD, A Mão da Rainha)
Vê-se que eles participam ativamente do conselho, expondo suas opiniões de como efetivamente vencer os Yunkaítas. Contudo, a força de lutadores que compareceu aos Portões de Meereen para sair ao campo de batalha não se limitava àqueles cuja presença Skahaz havia se oposto.
Na verdade, compareceram lutadores que nunca foram citados antes nos livros e alguns deles usavam armadura:
Não muito longe deles, perto do sinistro monumento que os Grandes Mestres chamavam de Espiral de Caveiras, várias centenas de gladiadores haviam se reunido. Selmy viu o Gato Malhado entre eles. Ao lado dele estava Ithoke Destemido, e alhures Senaera Cobra, Camarron da Conta, o Açougueiro Tigrado, Togosh, Marrigo, Orlos, o Catamita. Até Goghor, o Gigante, estava lá, assomando sobre os outros como um homem em meio a meninos. ​A liberdade significa alguma coisa para eles no final das contas, ao que parece. ​Os gladiadores sentiam mais amor por Hizdahr do que jamais haviam demonstrado por Daenerys, mas Selmy estava contente de tê-los da mesma forma. ​Alguns até estão usando armadura​, ele observou. Talvez a vitória dele sobre Khrazz tivesse ensinado alguma coisa a eles.
(TWOW, Barristan I)
Em um momento de total ingenuidade, Barristan deixa de considerar a possibilidade de que este lutadores estão vestindo armaduras porque pretendem atacá-lo. Ou seja, o que aprenderam com a morte de Khrazz foi apenas que, para matar Barristan Selmy, é melhor estar completamente equipado.
E assim que os portões de Meereen são abertos, os lutadores deixam preocupantemente clara sua lealdade para com o Rei deposto por Selmy:
Os lutadores de arena na maior parte gritam “Loraq!” e “Hizdahr!” mas alguns gritam “Daenerys!”.
(TWOW, Barristan II)
Em razão disto, eu penso que os lutadores poderiam estar apenas esperando uma oportunidade para, no calor da batalha, atacar Barristan. Eu não sou capaz de dizer se eles contam com o apoio de Cabeça-Raspada, Galazza Galare ou fazem isto de forma independente, mas acredito que Martin está plantando as sementes da morte de Selmy nestes detalhes.
Na verdade, eu acredito que a chegada dos homens de ferro à Meereen forneceu a distração perfeita para que os lutadores executem seus planos. Barristan começa a comemorar a vitória antes do tempo, observando que eles e os homens de Victarion flanquearam os Yunkaítas de modo definitivo... provavelmente porque não percebe a fragilidade da própria posição:
Ele vê que os homens de ferro estão desembarcando, lutando contra os yunkaítas, e diz, surpreso, “Eles estãodo nosso lado!” Os mercenários não vieram fazer frente a seu ataque porque já estão preocupados com os nascidos do ferro!
Barristan está quase alegre.
– É como Baelor Quebralanças e o Príncipe Maekar, o martelo e a bigorna. Nós os pegamos! Nós os pegamos!
(TWOW, Barristan II)
E é exatamente neste momento de autoconfiança que as armadilhas dos Lutadores de Arena e Bestas de Bronze seriam mais eficientes contra Selmy e os exércitos aliados da Rainha Dragão.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2019.11.17 19:09 MaraCoastline Vítima de assédio

O machismo faz com que nós duvidemos de nós mesmas. "Eu estou vendo coisa onde não tem?" "Não, impossível! Isso não está acontecendo comigo." "Não, isso é normal, é normal, é normal..."
No início de Julho desse ano (2019), fui vítima de assédio e eu simplesmente não soube como reagir. Até hoje isso me dói, principalmente porque uma série de ditos motivos sociais não me permitem denunciar, me sinto impotente. Eu sou uma vítima que será julgada se abrir a boca.
Nesse dia, eu estava trabalhando sozinha na loja, porque minha chefe (A.E.) tinha viajado para trazer novidades para a loja.
Eram quase 10:00 da manhã quando um cara (R), entra na loja para pagar um óculos que comprou. Pagou o óculos e me pediu para ver os shorts masculinos. Eu simpaticamente peguei todos que poderiam lhe servir, entreguei e lhe indiquei o provador, ele entrou no provador e logo em seguida entraram duas mulheres na loja, eu fui lhes atender. Foi então que eu senti que algo estranho estava acontecendo, enquanto eu atendia essas mulheres, não percebi nenhum movimento do R., ele não saía do provador, não pedia mais bermudas e nem sequer abriu a boca, foi como se ele não estivesse lá. Cheguei a pensar que ele queria minha opinião, mas tinha vergonha demais para sair e outras pessoas também o verem e opinarem...não sei, ele tinha cara de envergonhado e juro, eu pensava que ele não era muito normal, mesmo sabendo quem ele era, já que é casado com a A., que eu conheço há muito tempo (o pai dela ia com frequência ao bar do meu pai para conversar)...Acredito que nenhuma das mulheres que atendi tenham percebido que ele estava lá na loja, no provador. Quando essas mulheres saíram, eu então perguntei "R. deu certo alguma bermuda?" Foi onde meu mundo inteiro perdeu o sentido...Ele me disse que não conseguia abrir o cinto de uma bermuda para experimentar e ai abriu a cabine, ele estava nu, sem as roupas íntimas. Meu coração acelerou e meu cérebro deu bug. Eu só pensava "Ele não é normal, aja naturalmente...meu Deus, será que ele age assim sempre? Será que já fez isso antes?" Peguei a bermuda rapidamente, virei de costas e ele fechou a cabine do provador, quando abri o cinto joguei por cima da cabine para ele. Imediatamente mandei mensagem para minha amiga que trabalhou na loja antes de mim: "I., tu já atendeu o R. esposo da A. alguma vez na loja?" Ela me respondeu que não, só quem atendia era a minha chefe. Então, eu respirei e mesmo sabendo que era o pensamento mais louco do mundo quis acreditar que só minha chefe atendia porque ele realmente não era normal.
Então ele saiu da cabine com as bermudas e me disse que queria ver outras, eu tentei manter o sorriso e peguei mais bermudas e lhe entreguei. Então ele foi experimentar e daí disse "Essa aqui está apertada, nem está subindo direito" e mais uma vez abriu a cabine e disse "você pode me ajudar a tirar? não estou conseguindo" e ele estava com a bermuda no meio das pernas, sem roupas íntimas. Puxei a cortina entre ele e eu para manter distância, puxei a bermuda para soltar de onde estava presa e saí o mais rápido possível, com ânsia de vômito. Eu definitivamente estava perdida, sem saber como reagir. Nesse momento eu falei baixinho pra mim "tá errado, Mara...tá errado, Mara...Esse cara é louco" e escrevi mais uma mensagem para minha amiga: "I., acabou de acontecer uma coisa muito estranha" ela imediatamente respondeu me perguntando o que aconteceu.
Ele saiu do provador com as bermudas, escolheu duas (se não me engano), olhou pra mim e comentou "As garotas da Ser...são mais soltinhas né?" Eu com a cara fechada respondi "Eu não sei não, eu sempre fui de ficar em casa e quase não sair e minhas amigas são do mesmo jeito" nesse momento talvez ele tenha percebido minha alteração porque baixou a cabeça e disse "não é que eu..." e eu retruquei antes dele terminar "pronto, está aqui sua sacola". Ele pagou uma parte e ficou faltando outra que ele ia pagar depois. Assim que saiu eu continuei falando com minha amiga e contei tudo o que aconteceu. Ela me respondeu: "Amiga, tu entendeu que acabou de ser assediada, não é?" Eu comecei a sentir um forte incômodo no estômago e o choro entalou na garganta. Ela continuou "Liga para a chefe agora e conta o que aconteceu, não espera até ela chegar". Mandei mensagem para minha chefe: "A. E., acabou de acontecer algo, preciso urgente falar contigo" Ela não me respondeu, liguei para ela e também nada de atender...mandei mensagem para outra amiga (G) que estava conversando mais cedo e para o meu namorado na época (T). Consegui mandar áudio para essa amiga contando, não lembro se tive coragem de contar tudo...para o meu namorado perdi a coragem, por algum motivo eu simplesmente não soube como falar então calei e disse que depois eu falava, ele disse que tudo bem, que ia dormir e mais tarde nos falávamos. Tudo isso aconteceu mais ou menos em 30 minutos.
Em seguida, uma das mulheres que eu estava atendendo voltou e enquanto ela estava lá o R. apareceu novamente para terminar de pagar a conta. Meu coração acelerou e eu inconscientemente só soube agradecer por não está sozinha naquele momento. Ele olhou assustado, me deu o dinheiro e saiu da loja. A mulher foi embora também e novamente eu estava sozinha, então peguei meu celular e vi a ligação da A. E., consegui finalmente falar com ela. Eu chorei no telefone, chorei como criança porque eu fiz o que nunca pensei que ia fazer, agir naturalmente enquanto algo desse tipo acontecia. Minha chefe ficou sem reação, ela também não acreditava no que tinha acontecido, que se fosse ela tinha gritado e colocado para fora da loja, mas me entendia, porque eu era apenas uma moça sozinha que paralisou frente ao medo. Eu disse que não queria nunca mais atender ele e ela imediatamente me disse que nunca mais eu ia atender ele e nem outros homens iriam usar o provador enquanto eu estivesse sozinha na loja. Que se eu quisesse denunciar o que houve ela me apoiaria ou então contar para a mulher do R...Mas eu não tinha nenhuma testemunha do que aconteceu, era minha palavra contra a dele e se meus pais soubessem, eles iam ficar tão loucos que era capaz de acontecer uma tragédia. Nós moramos em uma cidade pequena, com que cara eu conseguiria andar com todo mundo me olhando e comentando sobre o fato? Eu não tinha nem coragem de contar para a A. sobre como o marido dela agiu. Eu estava sem chão e completamente indefesa, sem nada que me sustentasse. Tudo me levava a calar e como é traumatizante.
Cheguei em casa meio dia para almoçar e pedi a minha irmã (Y) para escutar o áudio que enviei a minha amiga G. Ela ouvia e olhava pra mim enquanto lágrimas caíam do meu rosto silenciosamente. Eu tava com tanto medo que pedi para ela ir a tarde comigo para a loja, mas ela não podia por causa de trabalhos da faculdade. Então mandei mensagem para um amigo agregado da família (C), relatei por cima e pedi que ficasse comigo. Já na loja eu contei pra ele e falei como eu ainda não sabia com que palavras eu ia contar para o meu namorado na época (T) mas tinha que contar. Não sei o porquê disso, eu sabia que ele ia me entender, acho que estava com vergonha e não queria ele querendo tirar satisfações ou qualquer coisa. No fim, eu estava com vergonha de mim, eu me odiava naquele dia e ainda hoje por ter agido daquela forma. No fim daquela tarde contei sem tantos detalhes o que houve para o meu namorado T. Ele ficou desnorteado e disse que apoiava a minha decisão. Mas ainda não acabou...
No final de Julho de 2019, nós estávamos em uma festa e meu namorado T me levou para sentarmos na calçada da igreja, enquanto caminhávamos até lá, eu vi o R. com sua esposa A. Me encolhi perto do T e disse "Foi ele, T" e ele perguntou "Ele quem??" e eu continuei "O cara da loja que eu te falei" já tinha um nó na minha garganta nesse momento, o T segurou um pouco mais forte minha mão e passamos o mais longe que deu. Quando eu olhei para trás, o R. estava me olhando. Eu virei rapidamente e continuei andando até sentar na calçada e fingir que nada tinha acontecido. Nessa noite, eu fui dormir na casa da minha melhor amiga (E), contei tudo para ela e mais lágrimas escorreram, aliás, toda vez que preciso falar sobre isso, meus olhos enchem de lágrimas e o nó na garganta surge.
Em Agosto de 2019, mandei mensagem para a A., contando que agora eu era candidata ao Conselho tutelar e se ela podia me ajudar votando em mim (De verdade, ela é um amor). Ela me disse que tinha prometido o voto dela para uma amiga, mas torcia muito por mim. Até ai tudo bem, mas em seguida ela me manda mensagem dizendo que o R. mandou me dizer que ele ia votar em mim. Eu não soube nem o que responder. Um tempo depois recebi solicitação de amizade dele nas redes sociais e ignorei.
Até hoje, minha chefe A.E. quando viaja me manda mensagens perguntando se nada de anormal aconteceu e se eu estou bem. Até hoje, a maioria dos meus amigos não sabem que isso me aconteceu e boa parte dos que sabem, não conhecem essa história por completo.
Se antes eu não consegui denunciar, hoje muito menos...continuo traumatizada, me sentindo impotente e ridícula por não ter agido como sempre pensei que agiria se algo assim me acontecesse. Meus amigos me dizem que não tenho culpa, que é normal paralisar, que entendem que eu tenha medo de abrir essa história para quem eu deveria, medo de ser julgada e de acontecer algo fora do controle. Eu ainda sinto que é só a minha palavra contra a desse cara e ainda por cima, um argumento muito forte "Ela agiu naturalmente, por que agora está aqui denunciando? é mentira dela"
Eu sou mais uma vítima da sociedade machista, que me impediu de acreditar que eu estava sofrendo assédio, que me fez duvidar do que estava pensando e sentindo, que me fez calar e achar que tudo era normal sendo que nada daquilo era normal e principalmente que me fez ter medo de tudo.
submitted by MaraCoastline to u/MaraCoastline [link] [comments]


2019.11.10 20:52 ankallima_ellen As Aventuras de Gabi nas Terras do Estrogênio – Quinquagésima Semana

Ainda dói só de pensar, mas a cada dia que passa mais percebo quão necessária foi essa decisão. Cortar, mesmo que temporariamente, relação com meus pais tem me permitido avaliar muitos aspectos da minha vida. Aspectos que antes eram inacessíveis seja por culpa, ansiedade, ou a mera necessidade de validação. Passei muitos anos negligenciando partes da minha personalidade e meus desejos apenas para ser aceita e elogiada por eles. Para ser alguém de quem eles se orgulhassem. Esforcei-me para ser o filho ideal, negando e por anos calando a garota que habitava em meu interior. Contudo, tudo o que obtinha como resposta era um “não fez mais do que a sua obrigação”, seguido de mais e mais cobranças. E eu espiralava nessa obsessão por amor e aceitação. Cada vez mais vazia de mim.
Custei muito para perceber que se lhe pedem alguma coisa e você por qualquer motivo não tem a possibilidade de dizer não, trata-se de abuso. Abuso físico ou emocional, pouco importa, as consequências são quase sempre as mesmas: uma vida vinculada a desejos de outrem. Quebrar esse ciclo é difícil. Ainda mais quando são seus pais os algozes e o argumento é o sacrifício que eles fizeram para lhe dar todas as oportunidades que lhe permitiram ser quem você é. Como pagar tamanha dívida? Impossível. Acabamos mesmo nos endividando conosco. Eu disse sim para muita coisa que não queria, abri mão de fazer muita coisa para mim. Deixei de trabalhar para resolver problemas deles, afinal perto do que eles fizeram por mim não custava nada. Enfim, negligenciei quem eu era para tentar me enquadrar nas expectativas que tinham de mim.
Daí veio a transição com seu derradeiro grito de independência ou morte. E com ela a necessidade de traçar limites. De me desemaranhar emocionalmente. De ser independente. De, sobretudo, exigir pela primeira vez na vida respeito. Comecei a abdicar de responsabilidades que não deveriam ser minhas. A reação não foi boa. Pudera, quem quer perder a empregada subalterna que realizava qualquer tarefa, até as mais impensadas? A sensação de culpa e dívida que me faziam sentir só escalava. E com ela vinham os ataques de ansiedade na iminência de qualquer contato. Mesmo a distância física não adiantava. O coração disparava cada vez que o telefone tocava. Seriam eles? Nas ligações nenhuma real preocupação com o meu bem estar, apenas no que eu tinha deixado ou teria que fazer para eles. Além de deixarem implícito o quão vergonhosa minha transição era. Pedi para que deixassem de me contatar. Protestaram, mas acataram. Contudo, encontraram meios de contornar essa proibição: macacos voadores. Primeiro minha vó e depois meu irmão. E quando esses falhavam, mandavam mensagens mesmo assim.
Queria muito estar com eles. Queria muito ser aceita por eles como sou. Enquanto isso, tratam-me fora de casa pelo meu nome morto. Invocam qualquer desculpa esfarrapada para o modo que me visto ou me porto, nunca que sou uma travesti. Deixam claro que sou um problema. Toda família tem alguma vergonha a esconder. Pior ainda, buscam minha validação para tal atitude. Afinal, não deixei claro que naquele específico contexto gostaria de ser tratada como Gabrielle. Ser constantemente invalidada pelas pessoas que mais amo, dói muito. Sei que esse é um problema que eles têm que resolver. Muito embora, neguem-se veementemente a abordá-lo. Só espero que algum dia possa acabar com esse exílio autoimposto, mas por ora preciso cuidar da minha sanidade.

Uma excelente semanas a todes!
Beijocas,
Gabi
submitted by ankallima_ellen to transbr [link] [comments]


2019.09.15 19:11 YareYareDaze007 Minha "breve" história amorosa

Essa História que será aqui contada, nesse livro, é a jornada de um garoto chamado Giovane, um garoto quieto, de poucos amigos, porém muito estudioso, sempre tirava boas notas na escola. E é exatamente lá que nossa história começa.
No ano de 2017, nosso protagonista está sentado tranquilamente em sua mesa, na sala de aula, quando repentinamente ao olhar de relance para a porta, ele percebe alguém entrando, mais especificamente uma garota, uma linda garota, que instantaneamente desperta o encanto de Giovane. Vale lembrar que naquela época, ele era um garoto de 13 anos, sem nenhuma preocupação além de vídeo-games e estudos, mas tudo aquilo estava prestes a mudar. Naquele momento, ele havia descoberto o amor, que muitas vezes pode ser comparado à uma benção ou maldição. Ao ver a garota de nome desconhecido entrar, Giovane logo ficou surpreso com tamanha beleza, porém no momento não fez muita coisa. Apenas voltou aos estudos e tentou não pensar muito naquilo, porém era quase impossível, a cada conta que fazia, a cada texto que lia, a imagem da garota continuava a aparecer em sua cabeça. O que era muito ruim, considerando o fato de Giovane sempre dar muita importância aos estudos, aquilo estava o atrapalhando. Mas logo o nome da garota foi revelado: Sabrina. Giovane ouvira a professora dizer esse nome na chamada e viu a garota responder.
Não demorou muito para ele se dar conta do que havia acontecido. Ele sabia que estava sob o efeito da droga mais poderosa que existe: O Amor. E para o amor não existe cura, apenas o tempo, que foi justamente o que decidiu fazer: dar um tempo e ver o que acontecia. Giovane Não tinha ideia de como os eventos se desenrolariam dali em diante, não sabia o quanto sofreria pensando nela.
Passado algum tempo, cerca de 3 meses, e o amor de Giovane por Sabrina continuava aumentando, como uma fogueira que é atiçada pelo vento. No entanto, uma dúvida ainda pairava sobre sua cabeça: O sentimento era recíproco? Sabrina via Giovane com outros olhos? Ele não sabia, e isso estava o enlouquecendo.
Um mês depois do acontecimento anterior, ele havia pensado em uma maneira de acabar com suas dúvidas, era o único modo que nosso protagonista havia pensado: Falar à Sabrina sobre seus sentimentos. Porém, Giovane era um garoto extremamente tímido, o que deixava essa hipótese quase impossível. Ele tinha medo de contar o que sentia e não ser correspondido, ou ainda pior, ser ridicularizado pelas pessoas ao redor da escola. Chega o fim do ano e Giovane não havia conseguido se declarar. "Meu Deus, mas e se ela não estiver aqui o ano que vem? " Pensava.
2018, início do ano. E para sua surpresa, ele estava na mesma sala que Sabrina. Seria o destino dando uma segunda chance a ele? Talvez. E como dito anteriormente, seu amor não diminuía, apenas crescia dia após dia. Nosso protagonista tem 14 anos agora, muito mais maduro, certo? Errado! Ele continuava com uma ideologia de " deixar o rio fluir ", ou seja, não fazer nada e deixar que o destino cuidasse do resto. Claramente essa tática não deu certo. Porém, Giovane possuía um amigo chamado Marcos, cujo qual se dava muito bem com as mulheres. E fui justamente a ele que Giovane foi pedir ajuda. E acontece que Marcos era realmente bom no que fazia, e milagrosamente conseguiu fazer Sabrina se aproximar consideravelmente de nosso protagonista, que estava pensando sobre a vida e as decisões que havia tomado e aparentemente não interagindo com Sabrina, o que fez Marcos aparecer e talvez ter causado o maior arrependimento da vida de Giovane. Ou não? Marcos chegou conversando com ambos e acabou deliberadamente por falar que Giovane estava apaixonado por Sabrina, o que deixou nosso protagonista completamente paralisado, como se tivesse visto um fantasma, sem nada para dizer, como se tivesse visto a morte cara-a-cara. E Sabrina pareceu incrédula do fato, tanto que até se levantou da cadeira na qual estava sentada e estava se dirigindo a seu lugar, quando Marcos a parou e tentou argumentar com ela, mas nada parecia dar certo. Enquanto isso, nosso protagonista continua sentado imóvel na mesma posição que havia começado a conversa. Passados cerca de 3 minutos, Sabrina chega à mesa de Giovane e pergunta:-O que aconteceu?
-Nada. Diz Giovane
-Você está com cara de bravo. Foi alguma coisa que eu fiz?
-Não, não foi nada.
E Sabrina sai daquela mesa e volta para a dela.
A partir daquele dia, Giovane se tornou outra pessoa, alguém completamente novo. Ao invés do garoto alegre e piadista de sempre, ele havia se tornado alguém quase depressivo, não falava quase nada, passava horas parado pensando na vida, não fazia mais tantas piadas. Até o dia 10 de agosto de 2018, quando ele decide que não vale mais a pena sofrer tanto por conta de falta de coragem. Na escola, durante a aula de geografia a lição era fazer um mapa-múndi e foi o que nosso protagonista fez, porém Marcos tinha um plano para ambos ganharem nota apenas com o esforço de Giovane, que aceitou ajudar já que poderia precisar de algum favor de Marcos algum dia. E foi um plano, absurdamente bem bolado, executado com maestria e finalizado com êxito.
Na noite daquele mesmo dia, Giovane decide cobrar a ajuda que ofereceu à marcos. Mandou uma mensagem para ele e combinou que iriam executar um plano para que nosso guerreiro Giovane tivesse a coragem de se declarar à belíssima donzela Sabrina. Marcos a convenceria a segui-lo e passaria por um local combinado, onde Giovane apareceria e abriria seu coração para ela, acabando de uma vez por todas com isso, do jeito bom, que Giovane sairia com uma namorada e se livraria de sua tristeza ou do modo ruim, que era o que Giovane achava mais provável, onde ele seria completamente rejeitado e jogado à depressão para sempre, porém esquecendo de Sabrina. Nada poderia impedir esse plano de funcionar.
Exceto uma coisa: O esquecimento de Marcos que não conseguiu atrair Sabrina até o local combinado, o que fez com que Giovane saísse vagando pela escola envolto em seus pensamentos, e andando sem parar, para praticar pelo menos de alguma maneira, algum exercício, contudo ao fazer a volta na escola várias e várias vezes, no caminho Giovane se deparava com Sabrina andando com uma amiga e seu namorado, e durante algumas dessas vezes ele pôde ouvir claramente a amiga de Sabrina dizer: " quem quer catar a Sabrina? " Duas vezes na mesma hora em que ele estava passando e ainda ouviu mais uma última vez: " Ela está se doando ". Giovane estava começando a ligar os pontos, tudo começava a fazer sentido em sua cabeça. A vontade dele era alterar o curso de sua caminhada e abrir seu coração a ela, porém se fizesse isso, ele estaria desperdiçando um favor de Marcos, então Giovane Simplesmente continuou sua jornada de volta à sala de aula. Ele estava prestes a descobrir o significado de tudo que aconteceu.
No final daquele dia, Giovane decidiu perguntar à marcos se ele havia se esquecido. E de fato ele havia, no entanto se ofereceu para fazer o mesmo plano no dia seguinte. Giovane concordou.
Terça-feira, 14 de agosto de 2018, nosso protagonista vai para a escola apreensivo pensando em como vai ser, no que ele vai dizer..., mas durante a aula de história, nosso herói percebe que Sabrina estava muito impressionada com o professor novo. Estaria ela realmente afim do professor? Ou seria apenas uma brincadeira? Ele não sabia e isso o deixava apreensivo. Na próxima aula, a de matemática, a professora havia mudado Sabrina de lugar. E coincidentemente, o lugar que ela foi designada era bem perto do lugar de Giovane. Seria esse o destino colaborando mais uma vez para que tudo desse certo em sua vida?
No recreio, tudo estava combinado com Marcos. Só lhe restava sair da sala e seguir com o plano. Acontece que um amigo de nosso protagonista, conhecido pelo codinome Sem Mão, decidiu segui-lo e ver o que aconteceria e como acabaria. Giovane conta o plano à Sem Mão, que fica impressionado e diz que aquele plano era como fazer roleta russa com 5 balas. No entanto, Marcos demorou muito para fazer o plano e quando fez, não fez corretamente: Ele simplesmente disse para Sabrina que Giovane gostaria de conversar separadamente com ela, enquanto nosso protagonista apenas passava por ela e ia direto ao banheiro, pois estava muito tenso. Acaba o intervalo e Giovane se dirige à sala de aula. Na última aula, logo em seguida da de educação física, todos voltam para a sala e se preparam para a aula de matemática e provavelmente a coisa mais inesperada desse livro acontece: Ele pensando na vida como sempre, consegue ouvir Sabrina e Vinícius, um outro colega de sala, discutirem sobre voltar ao lugar anterior deles, e de repente ouve ela dizer que aquele lugar era bom porque ela conseguia ter uma boa vista de uma coisa. Instantaneamente nosso protagonista percebeu que essa "coisa" era nada mais nada menos que ele mesmo, até porque em certo momento dessa conversa ele pôde perceber Vinícius responder: Do G? Que foi logo respondido com uma resposta de Sabrina: Por que você não grita logo de uma vez?! Seguido disso, Vinícius em tom de brincadeira, aumenta levemente sua voz e repete a frase anterior. A teoria das cinco balas de Sem Mão acabara de ser refutada, pois com essas informações, suas chances aumentaram consideravelmente, deixando a arma com apenas uma bala. Estava muito claro para Giovane que Sabrina aparentemente gostava dele, mas não queria que isso fosse exposto. Passado certo tempo da aula, mais uma vez Sabrina diz que é um bom lugar e que ela consegue observar muito bem essa "coisa" e foi respondia por Vinícius: Mas do seu lugar anterior, você também consegue ver. E logo veio a resposta: Sim, mas daqui eu consigo ver mais de perto, logo esse lugar é melhor. Ele sabia que, ou se tratava dele ou de algum de seus amigos que sentavam perto, e estava bem convencido de que se tratava dele. Nesse momento, Giovane estava pulando de alegria por dentro, mas por fora só se via sua expressão mais comum: a de indiferença. Ninguém simplesmente olhando, poderia saber a felicidade que residia dentro de Giovane naquele instante. Ele foi para casa se sentindo renovado e feliz, só não voltou saltitando por motivos de masculinidade. O que aconteceria depois?
No dia seguinte, Giovane não foi para a escola. Ele havia ido ao médico, e como o sistema de saúde do Brasil não é dos melhores, não conseguiu voltar a tempo de ir para a escola. Ainda nesse dia, pela primeira vez ele decide tirar seu bigode e por incrível que pareça, se achou mais bonito e se sentiu deveras confiante em sua jornada. Por volta das 18 horas, conversa por mensagens com seu amigo Sem Mão e lhe conta sobre o que havia descoberto ouvindo aquela conversa, e para desanimar um pouco nosso herói, Sem Mão diz que o "G" mencionado na conversa, poderia ser de Gustavo, outro aluno da mesma sala, mas Giovane prefere acreditar que ela se referia a ele. Logo em seguida, começa a conversar com Marcos, que também fica ciente da situação e diz:
- Ela está brincando com você, cara...
- Não, estou tão confiante que apostaria cinco reais que ela não está brincando!
- Cinco reais? Apostado então! Mas para você ganhar, ela tem de deixar explícito que aceita você. Assim como para eu ganhar, ela deve deixar explícito que rejeita você.
- Claro.
Giovane não possuía cinco reais, nem sabia onde conseguir, mas estava confiante.
16 de agosto de 2018, nosso protagonista aparece na escola e diferentemente do último dia, não parecia tão tenso, parecia até mesmo confiante do que iria fazer. Logo Marcos apareceu:
- Está fechada a aposta de hoje?
- Com certeza!
- Você sabe que vai perder, né?
- Certamente que não, estou tão confiante que nem trouxe o dinheiro, como sinal de que sei que não vou falhar! – Cada frase que nosso protagonista falava, era dita com convicção.
- Se está tão confiante assim, suba a aposta para dez reais!
Giovane pensou por alguns segundos. Ele não tinha esse dinheiro em mãos, mas para mostrar confiança à Marcos e a si mesmo, subiu a aposta.
- Feito!
No instante que disse isso, o sorriso malicioso que habitava o rosto de Marcos fora substituído por uma expressão de espanto. Não podia acreditar que nosso herói estava tão confiante. Porém, durante toda essa conversa na aula, Marcos decide contar à professora de ciências sobre a aposta, e para a surpresa de ambos, ela havia achado uma aposta interessante.
15:30, havia chegado a hora do intervalo, a hora da verdade. Quando pôs o pé para fora da sala de aula, soube que duas coisas importantíssimas estavam em jogo: Seu futuro amoroso e dez reais, que podem não parecer muito, mas na época que o país estava... Ele achava que seria fácil, mas estava muito enganado, pois quando estava fazendo o reconhecimento do melhor lugar para a abordagem, pôde sentir sua perna fraquejar. Depois de dar algumas voltas na escola e consequentemente acabar encontrando com Sabrina no caminho, ele havia achado que estava pronto e quando foi procurar seu alvo em movimento, não o encontrou, no entanto, logo descobriu que ela estava sentada, com sua amiga já mencionada anteriormente. Não havia mais escapatória, teria de se declarar na próxima volta e podia sentir seu coração bater cada vez mais forte ao se aproximar do local. Infelizmente, ao chegar e estar preparado, se depara com mais 4 garotas conversando com Sabrina e sua amiga, o que fez nosso herói alterar o curso e ao invés de parar, acabou seguindo sua trajetória comum. Faria na próxima volta, não importava o que acontecesse, porém, ao chegar novamente e ver que só estavam ela e sua amiga sentadas, não conseguiu. Era como se uma força desconhecida o impedisse.
Bate o sinal para todos voltarem para suas salas de aula e nosso protagonista entra e percebe que teria uma aula vaga, e logo seu lamento em não ter conseguido se declarar, se tornou em forças para tentar agora que não haviam tantas pessoas lá fora. E mais uma vez não conseguiu, até que Sem Mão propõe um desafio: reproduzir um desenho de seu amigo Raul, um cara vidrado em desenhar, e Giovane aceita, pois ficar andando e se lamentando não era a melhor atividade. Chegando onde Raul estava, Sem Mão explica o desafio, porém, por algum motivo Raul pega uma folha e corta em duas, dando uma parte para Sem Mão e outra a si mesmo. Giovane não se importa. Na verdade, parecia não se importar com mais nada depois de ter fracassado em conversar com uma garota. Sem Mão reproduz um desenho de um homem com terno roxo e gravata que Raul havia feito. A única diferença, no entanto, foi que sua reprodução ficou parecendo o cruzamento de um desenho de uma criança sem talento com um feto malformado em um pote com formol. Após isso, aparentemente Sem Mão ficou tão entediado quanto nosso protagonista e decidiu voltar a andar, quando de repente veem Marcos e o namorado da amiga de Sabrina tentando tirar a namorada de Marcos e a amiga de Sabrina de um banco no qual estavam todas sentadas. Giovane pensou que poderia ser Marcos querendo ajudá-lo a conseguir, mas qual seria sua motivação além de perder dinheiro? E eles conseguiram tirar as garotas do banco, deixando Sabrina sozinha, que decidiu levantar e começar a andar, mas nosso herói não pensou em abordá-la, simplesmente não tinha a coragem para isso. E acontece que ele era um cara muito corajoso quando se tratavam de brigas e tudo mais (até enfrentou um bando de garotos que estavam o incomodando uma vez), mas quando se tratava de garotas, ele não sabia o que fazer. Depois disso voltou para a sala a tempo de acompanhar as duas últimas aulas de geografia. Contudo, no final da última aula, Marcos veio conversar com nosso herói:
- E aí cara, cadê meus dez reais?
- Eu não falei com ela, logo não tomei um fora, o que significa que eu ainda fico com meu dinheiro.
- Porra, cara. Qual a dificuldade? É só chegar lá e falar " eu estou afim de você, vamos ficar juntos? " E acabou.
- Se fosse tão fácil assim, eu já teria feito há um ano e oito meses atrás...
- Mas é fácil!
- Não para mim. Me falta coragem.
Então Marcos decide tomar uma abordagem mais agressiva.
- Olha lá a bunda dela como é grande! Você não quer ter isso?
Giovane continuava dizendo que não tinha coragem.
- Olha lá, o cara foi dar tchau para ela e passou a mão na bunda dela! E ela ainda deu risada! Você vai deixar o cara fazer isso com sua futura esposa?
O sangue de Giovane fervia, como se ele mesmo fosse explodir a qualquer momento, mas ele era um cara calmo e conseguiu se manter normalmente apenas dizendo " calma e tranquilidade " a si mesmo enquanto Marcos dizia:
- Se amanhã você não conseguir, você vai ter de dizer para todo mundo que você é um merda e eu sou superior!
- Okay, já me considero um merda normalmente...
Mas aquela conversa lhe deu forças para o que ele faria no dia seguinte.
Dia 17 de agosto de 2018, nosso herói está prestes a sair de casa, enquanto seu pai assistia tevê, e de relance, pôde ver a notícia mais bizarra que já havia visto em toda a sua vida: " Homem-Aranha do crime " que aparentemente era um ladrão que escalava prédios tão bem que recebeu esse nome.
Chegando na escola, pronto para fazer um trabalho de artes, acaba descobrindo que haveria outra aula vaga, já que sua professora tinha faltado, o que o deixou feliz e enraivecido. Quando já havia saído da sala e estava andando pela escola, começa a falar com Sem Mão desse livro que está sendo escrito agora mesmo.
- Vai ter muita coisa nesse livro!
- Essa conversa também?
- Provavelmente, já que eu vou colocar qualquer coisa que pareça insignificante o suficiente no lugar de alguma informação que seria crucial, ou seja, essa conversa vai direto para ele.
- Bem, isso não seria meio que...
- Um Inseption muito foda!
- Eu ia dizer quebra da quarta parede, mas Inseption também está valendo.
- Não é bem uma quebra da quarta parede. Eu só estaria fazendo isso se eu dissesse: " Ei, você aí que está lendo esse livro, como é que você está? "
- É, realmente...
Ao andar, se deparava algumas vezes com Sabrina andando com Marcos e outra pessoa não apresentada anteriormente: Kauã. Em algum momento, Marcos tentou parar Giovane o empurrando e lembrando que ele tinha de concluir sua tarefa naquele dia, ou então seria um fracassado.
- Você tem até hoje para conseguir.
- Veja bem, meu amigo, até a meia-noite ainda é hoje.
E essa foi uma sacada bem esperta, tenho que admitir. Enfim, nosso protagonista continuou andando um pouco até que...
- Giovane! Chega aqui! – Disse Marcos aos berros sentado em um local perto de uma árvore.
- Porra... – Disse Giovane.
E foi andando até chegar a ele.
- Que foi, cara? – Perguntou em tom de desânimo.
Eu preciso que você tire uma foto.
" Uma foto? " Pensou Giovane, achando que poderia ter um esquema armado por Marcos.
- Ok, vamos lá!
E foram caminhando em direção à uma outra parte da escola. Quando chegaram, nosso herói se pôs em posição e segurando o celular de Marcos, estava pronto para fotografar. Enquanto olhava para a tela do celular, podia ver Sabrina e sua beleza, ao mesmo tempo que pensava " Caralho, eu sou um merda meu irmão! " E tirou a foto. No entanto, o que não sabia, é que quando já ia se retirando do local, Marcos o chamou e disse:
- Não, cara. A gente só quer que pegue essa parte da parede.
- Ah, ok.
E novamente estava em posição observando Sabrina pela câmera, e logo tirou outra foto. E dessa vez, conseguiu voltar à sua rota sem ser chamado mais uma vez. Andava e andava, sem rumo, sem destino, sem coragem, quando com sua super audição pôde ouvir Sabrina discutindo com Marcos, atrás dele.
Ouvindo isso, ela decide desafiar Marcos para uma briga, e ele logo se acovarda. Como Giovane, ele não tinha coragem. Quanta hipocrisia, não é mesmo, caro leitor? No entanto, ele logo teve uma ideia.
- Vai lá e usa essa raiva no Giovane!
E Giovane continuava andando na frente apenas ouvindo essa conversa, quando foi chamado.
- Giovane! Chega aqui!
E lá ele foi conversar com ele.
- O que foi dessa vez?
- A Sabrina quer te dar um soco.
Mas ela não queria.
- Não, eu não vou! – Disse ela.
- Por que não? – Perguntou Marcos
- Porque eu estou com raiva de você, não dele!
Mas depois dessa breve conversa, Giovane notou um olhar de Sabrina dirigido ao nosso herói. Sabrina realmente teria olhado para ele da forma que imaginava? Ou só estava ficando louco? Descobriria tudo isso em breve...
Dia 18 de agosto de 2018, sábado, por volta das 22:30 da noite Giovane é contatado por Marcos com uma mensagem:
- E aí, cara?
- Opa.
- Tudo beleza, cara?
- Tudo de boa.
- Então, cara... eu acho que você perdeu a aposta.
- Não, pois a aposta não tinha prazo. A única coisa que tinha prazo era eu dizer que sou um merda e a sexta já passou, então você foi enganado...
- Aí é que está, meu amigo quem está se enganando é você mesmo. O único que está sofrendo por amor é você.
- Sim, mas ainda assim, a cada dia minha coragem vai aumentando...
- Não se iluda meu pobre amigo. Esse seu coração não merece sofrer!
- Eu estou apenas contando os fatos.
- Não ame aquela garota, ela não merece você.
- Se fosse tão fácil assim... E você não vai me fazer desistir, porque sou brasileiro e brasileiro não desiste nunca!
- Entendo, apenas não quero que sofra por algo que não tem futuro.
- Eu já sofri para caralho, eu tentar isso não vai aumentar a dor que eu sinto por não estar ao lado dela.
- Você realmente quer isso, não quer?
- Sim, porra!
- Para que você possa ver que eu não estou mentindo. Eu nunca disse isso para você, porém... eu realmente não tenho nada para fazer.
- Etcha porra!
- Sim, essa foi a única palavra que você nunca me ouviu dizer.
- E qual seria? – Perguntou Giovane apenas para ver Marcos admitindo que estava tão perdido quanto ele.
- Eu não sei o que fazer.
- Ca ra lhou.
- Por conta dela, não tem muito o que fazer.
- Isso mostra que é um caso absurdamente difícil.
- Sim, porém não impossível.
- Até porque nada é impossível, exceto o Palmeiras ganhar um Mundial. Isso é impossível.
- Kkk verdade. Como eu já vi que você não vai desistir da Sabrina...
- Certamente que não.
- Eu vou pelo menos tentar ajudar.
- Que bondoso.
- Porém, como nada na vida é perfeito, eu vou usar minhas técnicas...
- Caralho. Tenho trauma dessas técnicas.
- Pode apostar! Até porque, eu aprimorei elas...
- Acho bom mesmo, kkk
- Porém não foi para um lado bom! Foi para um lado mais extremo.
- Puta merda.
- Eu já pensei no que vou fazer. Funciona muito em filmes e novelas.
- Diga-me.
- Vou trancar vocês dois, em algum lugar sozinho.
- Caralho. – Giovane já sabia que aquele plano não iria funcionar, porém decidiu ouvir até o fim.
- Vai ser perfeito. Você vai ver, aí é por sua conta. Na verdade, a parte mais difícil sempre vai ser para você.
- Eu estou com um certo medo do que pode acontecer.
- Ela pode falar tudo que sente por você, ou ela pode ficar de fato com você.
- Ou pode não acontecer nada.
Depois de um tempo de conversa Marcos se convenceu de que seu plano não era dos melhores. Até que disse:
- Eu te ajudo e você me ajuda. Eu te ensino o que sei, e você o que sabe...
- O que exatamente você precisa?
- Eu quero saber como você pensa tanto e quero saber como você é tão concentrado, etc....
- Caralho, sério?
- Sim.
- Ok, aqui vai. Não tem segredo: Você só tem que pensar que sua vida dependesse daquilo. Mas, o lance de ser pensativo, acho que é porque eu não tenho muito o que fazer, apenas pensar.
- Ótimo!
- Espero ter ajudado.
- Ajudou sim, muito obrigado. Agora o que você precisa?
- Fora o lance da Sabrina, nada.
- A melhor opção seria chegar nela em alguma hora em que ela estivesse sozinha ou falar que é uma conversa em particular.
- Sim, o lance é que eu preciso de coragem.
- Quer saber, você transmite confiança. Algo que eu queria muito transmitir.
- Só reprimir suas emoções e mostrar nos momentos mais cruciais.
- Como assim?
- Você nunca sabe se eu estou feliz ou triste, certo?
- Certo.
- Mas as minhas emoções mudam. Tudo que eu faço é mostrar o que eu quero que os outros vejam: A minha cara de indiferença de sempre.
- Porra.
- É basicamente só isso.
- Valeu, cara.
- Você me ajuda muito, estou retribuindo.
- Muito obrigado. Mesmo, cara.
- Não há de quê.
Dia 19 de agosto de 2018, Marcos envia uma mensagem por volta das 21:00 para Giovane:
- Cara, estamos na mesma situação. Eu me apaixonei e ela não dá bola para mim. Fudeu, eu me apaixonei. Isso não é natural no universo.
- Vamos conversar.
- Fudeu.
- Você se fodeu.
- Sim, Fudeu. Eu me apaixonei e isso não é normal da porra da natureza! Eu sou Marcos Ribeiro, não posso me apaixonar!
- Agora sente o que eu sinto há quase dois anos. Não é fácil quando é com você, né?
- Literalmente não. Mano, ela é maravilhosa e não me dá bola. Nem com meus truques e experiência não consigo.
- Você sabe que se eu conseguir ficar com a Sabrina e você não pegar essa mina, o mundo deu uma puta volta.
- Sim.
- Algo de errado não está certo.
- Nem um pouco. Mas, mano ela é perfeita! Pensa na Sabrina e multiplica por 20.
- Impossível!
- Juro.
- Para mim não existe nenhuma garota na face da terra que se compare à beleza da Sabrina. Acho que o amor faz isso...
- Mano, Fudeu. Eu me apaixonei. Pera aí...
- Eu poderia ser muito cuzão e não ajudar, mas você tentou me ajudar, então farei o que puder.
- Pronto. Não sou mais apaixonado.
O amor não é brincadeira de criança, é coisa séria e não se livra do amor tão rapidamente. E Giovane sabia disso, então ou Marcos não estava apaixonado desde o início, ou ainda estava apaixonado ou talvez estivesse inventando tudo aquilo.
- Ata kkk.
- Sério, passou. Eu me controlei.
- O amor vai e vem como uma montanha-russa.
- Não. Não comigo.
E foi então que nosso herói se preparou para fazer um dos melhores discursos de todos os tempos.
- Você pode ter esquecido agora, mas vai pensar nela de novo. E aí fodeu. Mas, se tem uma coisa que eu aprendi é que você tem que insistir...
- Não. Foda-se.
- ... até não ter mais forças. Você não vai esquece-la, apenas aceite o destino. Se você não tentar, alguém vai e você vai ficar muito arrependido. Então você não vai desistir, porra! Logo você, o cara que me incentivou a correr atrás da Sabrina, não pode simplesmente desistir. Essa pode ser a mulher da sua vida, então você teria que ser muito burro para deixar de tentar. E é por isso que você vai correr atrás dela.
Esse foi um puta discurso. Foi tão bom que parece que foi redirecionado a si mesmo e deu forças para ele fazer o que faria amanhã.
Dia 20 de agosto de 2018. O que nosso herói fez? Nada! Até tentaria falar com Sabrina, mas o problema é que não a via. Ficou todo depressivo por passar mais um dia sem conseguir e foi para casa. Chegando lá, sente uma certa fome e decide fazer uma omelete. Uma coisa que deve ser dita anteriormente, é que independente de quanta pimenta do reino colocasse, não conseguia sentir a picância que deveria. Fazendo a omelete, coloca pimenta do reino e seus dedos ficam sujos. Logo vem seu pai, com uma má intenção.
- Lambe a pimenta aí para você ver que não arde quase nada.
Giovane confiava em seu pai então provou e por um segundo pensou " nossa, não arde mesmo ", mas estava muito enganado e arrependido, pois depois de dizer isso, pôde sentir sua língua queimando como carvão em brasas, então pensou " vou tomar um copo de leite e estará tudo resolvido ", acontece que no momento a caixa de leite que estava na geladeira, havia acabado e Giovane teve que esperar cerca de trinta segundos de pura dor e sofrimento até conseguir abrir outra caixa de leite.
Esse pequeno conto não interfere em nada nossa história, mas achei que deveria ser compartilhado.
Quinta-feira, 23 de agosto de 2018. Nosso herói já está na escola durante a terceira aula, esperando o sinal para o intervalo. Ao ouvi-lo, Giovane, como sempre, começa a andar em voltas, porém, mais uma vez se depara com Sabrina, mas dessa vez ela não está andando, e sim parada com algumas garotas, o que eliminava completamente a possibilidade de tentar fazer seu plano, então apenas segue seu caminho. Voltando para a sala, ele não sabia, mas sua vida que já era depressiva, estava prestes a ficar pelo menos três vezes pior, por um tempo. Ao entrar e sentar em sua cadeira, pôde ouvir Yasmin, sua prima, dizer claramente que era um cupido, logo em seguida Sabrina conversa com alguém que ele não conseguira identificar, mas ouve a seguinte frase durante a conversa " Eu virei e dei um beijo na mina ". Naquele momento, não sabia o que fazer. Seus olhos começaram a lacrimejar como se estivesse cortando um milhão de cebolas enquanto um anão tailandês chicoteava suas costas. Sentiu que todo o sentido de sua vida havia acabado, sentiu-se como se o chão que estava aos seus pés havia desabado. Para esconder sua tristeza de todos e de si mesmo, Giovane adotou um comportamento bem agressivo, mas enquanto conversava com Marcos ouviu-o dizer:
- Vamos fazer uma aposta amanhã. Tipo os gringos jogam pôquer e apostam salgadinho essas coisas, já a gente que é fudido aposta bala. A gente poderia, sei lá, jogar algum jogo de azar tipo pôquer, truco...
- Eu toparia um truco. – Disse nosso protagonista.
- Ok, então amanhã todo mundo traz bala para apostar e a gente joga um truco.
Chegando em casa, de noite, Giovane decide contar a seus amigos sobre o motivo de ter ficado tão furioso a partir do intervalo, exceto por uma parte que ele não conseguia parar de rir como se fosse um retardado " Bebidas Xabás ". E ao contar para Semeão, ele recebe um discurso motivacional quase tão bom quanto o que havia feito para Marcos.
- Giovane, sabe o que você precisa?
- O que?
- TVNC
- Wtf?
- Tomar vergonha na cara.
- Porra, semeon.
- Criar coragem e ir.
- Sim. Só preciso do meu bigode, ele me transmite segurança.
- Não deixe que coloquem o dedo na sua cara e digam quem você é!
- Minha autoestima começou a subir...
- Virou mó conversa motivacionap. Maldito correto. R.
- Maldito analfabetismo!
- Cara, você é o cara!
- É bizarro que eu nunca pensei que não conseguiria por falta de coragem, mas sim por rejeição.
- Você vai conseguir. Se tiver a lábia mais do que perfeita, você é imbatível!
- Sim, eu só preciso chegar nela.
- E puxar um bom papo.
- Com puxar um papo, você deve saber que eu vou chegar fazendo a proposta.
- Hum, é mesmo?
- Se a porra do Marcos tivesse seguido o plano...
- Então quando você chegar nela, já sabe...
- Agora tenho que ir.
- Vou recobrar o favor do Marcos, mas falous.
- O Kauã está mandando eu jogar com ele.
- Olha só, escravatura, mas falous.
Naquele mesmo dia, ele cobrou o favor e Marcos concordou em ajudar.
Dia 24 de agosto de 2018, na escola durante a primeira aula que deveria ser de artes, mais uma vez é uma aula vaga. Ao andar com Sem Mão e Raul, como sempre nosso herói se depara com Sabrina sentada com algumas amigas. Dando algumas voltas, durante uma delas, ao passar pelo grupo de garotas, nosso protagonista consegue ver claramente Sabrina olhar diretamente para ele por cerca de três segundos. E não era qualquer olhar, era um olhar tão certeiro que não havia a possibilidade de ela estar olhando para algum outro lugar. Esse fator somado às informações que Giovane havia conseguido ouvir ao longo do tempo, lhe dava uma chance de 99% de Sabrina estar afim dele.
Feliz para cacete, depois que a aula vaga acaba, volta para a sala e vai fazendo as lições até chegar a última aula de geografia. Todos haviam se lembrado do que Marcos havia combinado sobre o truco. Mas ninguém trouxe um baralho.
Depois de tudo isso, com sua confiança, nosso herói faz uma das coisas que mais se arrependeria em sua vida, ele decide aumentar a aposta que havia feito com Marcos para 20 reais. Se ele conseguisse, seria ótimo ganhar esse dinheiro, mas Giovane não pensou no caso de não ganhar a aposta, pois estava cego pela ganância do dinheiro fácil. Marcos aceita a proposta e dessa vez foi mais esperto por ter colocado um prazo de dois dias na aposta.
Durante alguns dias, nada de tão importante acontece que deva ser mencionado nesse livro. Isso até o dia 30 de agosto de 2018...
Giovane decide que pediria Sabrina em namoro durante o recreio, mas para isso precisaria da ajuda de Marcos, que concordou em ajudar depois de certas negociações.
É chegado o intervalo e a tensão estava subindo, até porque agora além de Sabrina, 20 reais estavam em jogo, e nosso herói não tinha nem perto disso...
Giovane anda durante o recreio procurando Marcos e acaba o encontrando.
- Então, cara... agora seria uma ótima hora para aquela ajuda...- Disse nosso protagonista.
- Ah, sim claro, claro... A gente só precisa encontrar a Sabrina...
E lá se vão Marcos, Giovane e Thiago (Não o Sem Mão) procurando a garota. Até que Marcos tem uma genial ideia (sem sarcasmo).
- Giovane, faz o seguinte: fica ali na árvore que eu vou ver se eu encontro ela e chamo-a aqui.
Nosso herói concordou com a cabeça e foi se dirigindo à árvore. Chegando lá, não parava de pensar o que iria dizer, até que de relance, consegue ver Marcos caminhando com Sabrina em sua direção. Eles haviam chegado.
- Então, o Giovane tem um negócio para te falar...
"É agora", pensava Giovane. Não havia mais escapatória.
- É então, é sobre o lance que eu ia falar ontem... Sabrina eu sou absurdamente afim de você, e você sabe disso, então... quer namorar comigo?
- Então... no momento eu não estou disponível..., mas se quiser a amizade, estamos aí.
Ele se sentia arrasado, detonado, zuado, fudido, quebrado.
Aquelas palavras ecoaram na cabeça de Giovane, que agradeceu a Sabrina por ter cedido seu tempo e foi embora andando. Por incrível que pareça, ele se sentia libertado. Triste, porém, libertado.
E nossa história termina aqui com um final não tão feliz(ou será que não?).
E com essa finalização, eu agradeço por ter tirado um tempo do seu dia para ler isso.
submitted by YareYareDaze007 to EscritoresBrasil [link] [comments]


No coração ninguém manda: Mensagem romântica de amor LINDA MENSAGEM DE BOA NOITE!!! PAZ E AMOR PARA O SEU CORAÇÃO ♥ Carlos Guilherme - 'Quando o coração chora de amor' - YouTube Fábio Teruel - uma mensagem para o seu coração - YouTube MENSAGENS QUE FALAM AO CORAÇÃO! LINDAS MENSAGENS DE AMOR PARA O SEU CORAÇÃO - YouTube Mensagens que tocam o fundo do nosso coração A força do nosso amor ♥ Lindos efeitos de coração #13: Seja Feliz

frases de amor - Belas frases de amor para alguem especial

  1. No coração ninguém manda: Mensagem romântica de amor
  2. LINDA MENSAGEM DE BOA NOITE!!! PAZ E AMOR PARA O SEU CORAÇÃO ♥
  3. Carlos Guilherme - 'Quando o coração chora de amor' - YouTube
  4. Fábio Teruel - uma mensagem para o seu coração - YouTube
  5. MENSAGENS QUE FALAM AO CORAÇÃO!
  6. LINDAS MENSAGENS DE AMOR PARA O SEU CORAÇÃO - YouTube
  7. Mensagens que tocam o fundo do nosso coração
  8. A força do nosso amor ♥
  9. Lindos efeitos de coração #13: Seja Feliz

LINDAS MENSAGENS DE AMOR PARA O SEU CORAÇÃO - Duration: 2:31. MUNDO VIRTUAL & AFINS 740,137 views. 2:31. Language: English Location: United States Restricted Mode: Off ... --- Site oficial: https://www.fabioteruel.com.br Loja virtual: https://loja.fabioteruel.com.br --- 'Fábio Teruel' 'Fabio Teruel' 'Fábio' 'Teruel' 'Motivador'... Palavra de Deus Para Acalmar o Coração – Mensagem muito Poderosa - Duration: 5:22. ... Mensagem linda do Padre Fábio de Melo - Para o novo amor que vai chegar! - Duration: 13:26. A Portuguese classic! Bem vindo(a) ao Canal Apenas 1, aqui você encontra mensagens para todos os momentos especiais como amor, eu te amo, mensagem de boa noite, bom dia, aniversário, saudades, amizade verdadeira ... Diariamente, UMA PALAVRA DE DEUS para sua vida! 💌 Se for tocado por DEUS, não esquece de se inscrever, ativar o sininho, curtir, comentar e compartilhar! ... MENSAGEM DE AMOR PARA O SEU ... Lindos efeitos de coração com belas mensagens de amor e otimismo em português, espanhol e inglês para motivar ainda mais o seu gracioso dia. Seja feliz, Divertirse, be happy! Música de fundo ... #mundovirtualafins Te amo agora Te amo depois Te amo quando ficar Te amo quando for Te amo quando chover Te amo quando fizer sol Te amo aqui Te amo lá Te amo... A Força Do Nosso Amor A vida é minha mais o coração, é seu. O sorriso é meu mais o motivo, é você! Te amo, amor da minha vida ! Essa mensagem fala de um amor forte demais, que apesar dos ...